11 países têm chances matemáticas de vencer a Copa; Saiba quem são

Para o estatístico Nate Silver e sua equipe, o Brasil ainda é o principal favorito na Copa, mas Argentina e Alemanha aumentaram suas chances

t6iue6i35

O Brasil continua sendo o principal favorito nesta Copa do Mundo, mas a distância entre ele e concorrentes como Argentina e Alemanha diminuiu. Agora, há 11 países com chancesmatemáticas de vencer o torneio.

A constatação é de Nate Silver, o estatístico que ficou famoso na última eleição presidencial americana, em que Obama foi reeleito. Silver previu quem ganharia em cada um dos 50 estados americanos e no distrito de Colúmbia, onde fica a capital.

A equipe de Silver mantém um gráfico interativo sobre a Copa do Mundo em seu site FiveThrityEight. O gráfico mostra as chances de cada time em cada fase, entre outros dados.

Esses números mudam todos os dias em função dos resultados dos jogos. Para calculá-los, Silver e sua equipe usam um algoritmo desenvolvido para a ESPN em 2010, o Soccer Power Index (Índice de Força no Futebol, SPI na sigla em inglês).

Estes são os onze países que ainda podem ser campeões. Ao lado de cada um, mostramos seu SPI e a probabilidade de vencer a Copa na estimativa de Silver e sua equipe:

O SPI leva em conta tanto o desempenho das seleções como o dos atletas em seus clubes. A seleção da França, por exemplo, não vinha conseguindo bons resultados antes da Copa.

Mas vários dos jogadores franceses brilharam no último campeonato europeu. Por isso, a pontuação da seleção francesa é alta no modelo de Silver.

A importância relativa de cada jogo também é levada em conta ao calcular a força de cada time. Um amistoso pesa menos no resultado do que um jogo de campeonato. O algoritmo ainda diferencia jogos em casa de outros num estádio adversário ou neutro.

O algoritmo foi  aperfeiçoado por um grupo da ESPN para que pudesse prever também o resultado de partidas específicas. A matemática empregada para isso inclui cálculos um tanto esotéricos, como a chamada regressão bivariável de Poisson.

É um método complexo, que exige bastante dos computadores, como explica Silver em seu blog. O volume de dados sobre jogadores e equipes, acumulado ao longo de anos, é enorme. Os cálculos são pesados e um tanto demorados.

Adiós España

Como alerta o próprio Silver, prever o vencedor da Copa do Mundo é mais difícil do que cravar o resultado de uma eleição. A eliminação da Espanha é uma evidência dessa dificuldade.

No dia 9 deste mês, a equipe de Silver dizia que a Espanha tinha 8% de probabilidade de ser campeã. Era o quarto país com mais chances na Copa, atrás de Brasil (45%), Argentina (13%) e Alemanha (11%).

Mas Silver previu corretamente a ascensão do Chile. É um país em que pouca gente apostava antes da Copa, mas que tem tido bom desempenho. É o quinto com mais chance de ser campeão, com 7% de probabilidade.

Resta esperar que as previsões sobre o Brasil também estejam certas. A seleção brasileira tem a matemática a seu favor. Mas, obviamente, não são os estatísticos que marcam os gols.

 

Fonte: Exame

Compartilhar:
    Publicidade