CONFIANÇA

O final de semana que passou foi palco de uma reunião tensa entre o deputado Henrique Alves e a ex-governadora…

O final de semana que passou foi palco de uma reunião tensa entre o deputado Henrique Alves e a ex-governadora Wilma de Faria. O motivo principal da divergência é o gerenciamento do marketing da chapa majoritária. Henrique não confia no marqueteiro de Wilma e a recíproca é verdadeira.

CRISE

Henrique Alves apresentou o competente Adriano de Sousa como responsável pelo marketing de sua campanha; Wilma discordou da escolha e disse que a campanha dela seria comandada pelo publicitário Alexandre Macedo, que perdeu a última majoritária de forma integral com a própria guerreira e o então governador Iberê Ferreira. Derrota dupla em primeiro turno. Aí foi a vez de Henrique discordar.

DIVERGÊNCIA

A discordância de Wilma em relação a Adriano de Sousa não reside no talento profissional, inquestionável. Aliás, Adriano já trabalhou com a mãe de Lauro nas campanhas vitoriosas de 2002 e 2006. A questão atual é que hoje, o publicitário é ligado profissionalmente ao sogro de Henrique, jornalista Cassiano Arruda Câmara, desafeto histórico de Wilma. Desconfiada até do vento, a mulher de Zé Maurício teme ser alvo de discriminação interna durante a campanha.

DIVERGÊNCIA II

A discordância de Henrique em relação a Alexandre Macedo é que o publicitário sempre foi ligado a Wilma e poderá dar atenção excessiva à candidatura ao Senado, deixando em segundo plano a candidatura do PMDB ao Governo. A solução foi cada um ficar com o marqueteiro de sua confiança. Wilma ficou com Macedo e Henrique com Adriano.

COMANDO

Mas a divisão do marketing da chapa majoritária não resolve todos os problemas. Afinal, quem vai bancar a campanha de Wilma é Henrique. Ou seja: quem vai comandar efetivamente os rumos e direcionamentos da campanha é quem tem a chave do cofre, o PMDB.

REFÉM

Nesse caso, Wilma de Faria, quer queira ou não, ficará refém de Henrique durante a campanha, pois o comando financeiro dará as cartas e decidirá as diretrizes. Acostumada a ordenar e ser obedecida, será que a mãe de Lauro ficará à mercê de seu ex-adversário, cuja família quer ver a derrota de sua aliada eventual?

INFILTRADOS

Sherloquinho descobriu que o material enviado a determinados veículos da imprensa, com objetivo explícito de desgastar a imagem do Ministério Público, é trabalho de dois integrantes de escalão superior da própria instituição. As digitais dos dois alcaguetes ministeriais já estão mais do que conhecidas; as motivações indignas, idem. Feio querer desgastar sua própria casa por interesses pessoais contrariados.

INFILTLADOS II

O acesso dos dois coroas do MP a todos os atos da instituição é facilitado pela hierarquia conquistada por antiguidade. Fuçam o que julgam que podem ‘queimar’ a imagem do Ministério Público e passam para quem está chateado com o MP por outros financeiros motivos. A aparência de querer evitar ‘gastos públicos desnecessários’ autojustifica a sanha aparente de’defensores do dinheiro do povo’. Tudo casca. Na verdade, a defesa não é pelo dinheiro do povo; mas, para o próprio bolso.

POVÃO

Pessoas ligadas ao vice-governador Robinson Faria pretendem sugerir o nome do vereador natalense Luiz Almir como seu candidato a vice. Seria uma forma de popularizar a chapa e imprimir um discurso mais ‘povão’ com a presença do seresteiro.

FECHAMENTO

A secretaria de Saúde do Estado anuncia a abertura de 10 leitos de UTI no Walfredo Gurgel. A conta está errada. Para abrir 10, o Governo fechou quatro leitos de UTI do hospital da Polícia Militar. Portanto, se fecha 4 e abre 10, a contabilidade verdadeira é que o Governo abriu efetivamente seis leitos e ainda conseguiu repercussão negativa por ter fechado uma UTI importante, como a do hospital da PM.

POSIÇÃO

Coerente e corajosa a posição do ex-secretário Renato Fernandes, que deixa o PR por ter sido obrigado a mudar o discurso por imposição do deputado João Maia. É uma prova inquestionável de como as lideranças estaduais, proprietárias das legendas, atuam sem o menor respeito por seus aliados no interior. Quem é subserviente, baixa a cabeça e aceita tudo. Quem pode e tem coragem, toma posição, como fez Renato.

ECOLOGIA

Ricardo Mendonça, empresário no ramo da construção civil e mão de obra terceirizada, assumiu recentemente a Secretaria Geral do Partido Ecológico Nacional no RN (PEN). Bacharel em direito, Mendonça quer trabalhar para desenvolver ações que permitam nortear soluções nas políticas públicas de saúde, educação, segurança, transporte e meio ambiente.

VOZ

O veterano e competente jornalista Wellington Medeiros participa, amanhã e depois (3 e 4), em Brasília, do Workshop denominado “Única Voz”, promovido pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária. O evento reúne os assessores de comunicação de todos os estados e Wellington representa o CRMV-RN, presidido pelo médico veterinário Francisco Ferreira Lima.

Compartilhar: