Falta uma semana para a sexta edição da Feira de Fornecedores Industriais do NE

- Será em Recife, entre os dias 22 e 25 deste mês, a 6ª. Forind/NE (Feira de Fornecedores Industriais do…

- Será em Recife, entre os dias 22 e 25 deste mês, a 6ª. Forind/NE (Feira de Fornecedores Industriais do Nordeste), com a participação de mais de 300 empresas voltadas para o atendimento de setores como energias renováveis, metalmecânico, eletroeletrônico, sucroalcooleiro, mobiliário, entre outros.

– Com expectativa de movimentar mais de R$ 30 milhões em negócios, a feira – que terá lugar no Pavilhão de Exposições do Centro de Convenções de Pernambuco, numa área de 25 mil metros quadrados – ainda está recebendo inscrições (gratuitas) pelo site www.forindne.com.br/credenciamento.

– A Reed Exhibitions Alcântara Machado, empresa promotora, espera que a 6ª. Forind/NE receba mais de 9 mil visitantes, entre empresários, engenheiros, técnicos das áreas de eletricidade, metalurgia, agronomia e demais compradores do setor industrial.

– Um dos objetivos da feira é contribuir para consolidar e renovar a cadeia de fornecedores de máquinas, aproximando as pequenas, médias e grandes empresas fornecedoras de equipamentos, suprimentos e serviços industriais dos grandes grupos empresariais instalados na região nordestina.

– Simultaneamente à Forind, também acontecerá o I Encontro dos Polos Econômico de Pernambuco, realizado pela Rede Suape (entidade composta por dirigentes de empresas instaladas no complexo portuário de Suape), que contará com participação do ex-ministro da Infraestrutura Ozires Silva, da economista Tânia Bacelar e todos os secretários da área econômica do Governo pernambucano.

– Outro importante evento paralelo será a 6ª. Sucronor (Mostra Sucroenergética do Nordeste), que apresentará produtos, serviços, tecnologias e conhecimento para toda cadeia produtiva do setor sucroenergético, fomentando negócios e a criação de redes de relacionamentos.

– Destaque especial será dado ao mercado de energia da região, que vive um preocupante momento de instabilidade mas apresenta perspectivas otimistas com a exploração de fontes renováveis (eólica e solar), questões que serão debatidos por especialistas, empresários e órgãos governamentais.

– Realizadas pela VIEX Americas, primeira organização brasileira especializada na distribuição de informações empresariais para os setores de energia elétrica, recursos naturais, infraestrutura e petróleo, acontecerão dentro da 6ª. Forind/Nordeste conferências e seminários voltados para a disseminação de conhecimento para tomada de decisão, investimento e definição de estratégias a cerca do mercado de energia, com inscrições abertas através do site http://viex-americas.com/proximos-eventos/eventos-2014-energy-risk-management-ne-home/.

3 Corações fecha parceria exclusiva com Grupo IMC

– A partir de agora as redes de restaurantes “Viena Delicatessen “, “Frango Assado” e “RA Catering”, controladas pelo Grupo IMC (International Meal Company), passam a incluir em seus cardápios os diversos sabores do Café 3 Corações, empresa criada e dirigida por empresários do Rio Grande do Norte.

– O “Frango Assado”, com restaurantes e postos localizados em pontos estratégicos das rodovias brasileiras, serve agora cappuccino, chocolate e os cafés premium e moído tradicional, com o sabor e a qualidade 3 Corações.

– Já a “RA Catering”, empresa que figura entre as líderes na área de concessão do setor de varejo aeroportuário de alimentação e de refeições de bordo, terá o Cappuccino #PRONTO nas versões light, classic e chocolate.

– E nas lojas da rede “Viena Delicatessen” os clientes irão encontrar a marca TRES, de solução multibebidas do Grupo 3 Corações, que possui variados tipos de cápsulas elaboradas com ingredientes cuidadosamente selecionados que, aliados a um sistema de extração inovador, obtêm excelentes cafés expressos, cafés filtrados, cappuccinos, chás e outras bebidas quentes.

– Para a diretor de Operações da IMC, Cláudia Malaguerra, “a parceria com o Grupo 3 Corações, com marcas de grande destaque no mercado, tem tudo para ser um sucesso”. E declara estar otimista com os resultados positivos para ambas as empresas.

– Fundado em 1959, no interior do Rio Grande do Norte, o Grupo 3 Corações é uma “joint venture” formada pela São Miguel Holding e pelo grupo israelense Strauss. Atualmente, a empresa industrializa e comercializa as marcas de café “3 Corações”, “Santa Clara”, “Pimpinela”, “Kimimo”, “Fort”, “Letícia”, “Fino Grão”, entre outras. É pioneira e líder de mercado há mais de 20 anos com o “Cappuccino 3 Corações”, e possui o “Cappuccino #PRONTO”, versão gelada.

– Além desses produtos, o grupo produz filtro, porta-filtro, café solúvel, refresco em pó “Frisco” e “Tornado”, os achocolatados “Claralate” e “Achocolatto” e os derivados de milho e temperos “Dona Clara”.

– O grupo fechou 2012 com faturamento superior a R$ 2 bilhões, com 24 Centros de Distribuição instalados no país, nove Unidades Industriais, três Unidades de Compra e Beneficiamento de Café Verde, uma Unidade de Exportação e a Escola de Serviços e Sabores 3corações, que geram mais de 4,1 mil empregos diretos.

MPT quer que Petrobrás crie fundo garantidor de passivos trabalhistas

– O Ministério Público do Trabalho em Mossoró ingressou com ação civil pública visando obrigar a Petrobrás a se resguardar para responder solidariamente por créditos trabalhistas que não venham a ser quitados pelas empresas por ela contratadas para a prestação de serviços.

– Querem os procuradores do Trabalho que a estatal do petróleo crie uma espécie de fundo garantidor, a fim de sejam cobertos por meio dele os possíveis “calotes” que as empresas terceirizadas apliquem nos seus empregados ao final dos contratos, eventos que se tornaram muito comuns nos últimos tempos no interior potiguar.

– Segundo os procuradores Gleydson Gadelha e Afonso Rocha, que assinam a ação, “o objetivo é proporcionar uma maior segurança aos trabalhadores e assegurar a efetiva prioridade dos créditos trabalhistas”.

– A ação teve como base o crescente volume de demandas judiciais e extrajudiciais na região, motivadas por irregularidades trabalhistas como atrasos e falta de pagamentos de salários, bem como outros direitos, tais como valores de verbas rescisórias, em empresas contratadas pela Petrobras.

– O excesso de reclamações dessa natureza tem obrigado a Justiça do Trabalho a promover uma verdadeira corrida ao bloqueio de créditos para pagamento de dívidas das empresas terceirizadas. Levantamento realizado pelo MPT dá conta de que 50 prestadoras de serviços terceirizados no setor de petróleo possuem hoje ao menos cinco demandas cada, somente nas varas do Trabalho de Mossoró, sendo que algumas delas respondem a centenas de processos.

– Para o MPT a origem do problema está na forma de contratação praticada pela companhia petrolífera, que precariza as garantias trabalhistas.

Compartilhar: