2ª DP de Parnamirim investigará acidente em camarote em Pirangi

A delegacia irá apurar se houve um público maior do que o calculado pelo engenheiro responsável pelo projeto

Cerca de 30 pessoas sofreram ferimentos após camarote ceder durante show. Organização do evento tinha Habite-se. Foto: Divulgação
Cerca de 30 pessoas sofreram ferimentos após camarote ceder durante show. Organização do evento tinha Habite-se. Foto: Divulgação

Carolina Souza
acw.souza@gmail.com

Até que as investigações sejam concluídas, o camarote montado para as festas da Arena Circo da Folia, em Pirangi, estará interditado. Parte da estrutura instalada no local chegou a ceder por não suportar a quantidade de pessoas em um determinado momento em que acontecia o show da dupla sertaneja Fernando e Sorocaba no último sábado (18). Mais de 30 pessoas sofreram ferimentos. Duas prestaram queixa à 2ª Delegacia de Policia de Parnamirim, a quem caberá as investigações sobre os responsáveis pelo incidente.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, foi realizada uma perícia no dia do evento, após o encerramento do show, seguida da interdição parcial do espaço. “A área permanecerá interditada até que as autoridades legais adotem o procedimento de investigação e nos dê autorização para liberar”, informou o chefe do Departamento de Comunicação do Corpo de Bombeiros, tenente Cristiano Couceiro.

“Encaminhamos a nossa vistoria à Delegacia responsável por aquela área logo após o evento. A organização do show tinha o Habite-se e toda a documentação regularizada. Porém, como não sabemos o que de fato provocou o acidente, o espaço permanecerá interditado. Após as investigações, o responsável será notificado, devendo providenciar os ajustes. A delegacia irá apurar se houve um público maior do que o calculado pelo engenheiro responsável pelo projeto”, destacou Couceiro.

O delegado da 2ª DP de Parnamirim, Frank Albuquerque, informou a O Jornal de Hoje que as pessoas que prestaram queixa receberam Guia de Exame de Solicitação de Corpo de Delito para que o Itep [Instituto Técnico-Científico da Polícia] informe o tipo de lesão sofrida. “Essas duas pessoas nos informaram que sofreram grandes lesões e não tiveram socorro no local. Encaminhamos os envolvidos ao Itep e o local permanecerá interditado enquanto nós apuramos o caso”, informou.

Para o tenente Couceiro, o incidente ocorrido serve de exemplo para outros tipos de evento. “Se isso aconteceu em uma festa privada, com tudo devidamente regularizado, imagina o risco que as pessoas podem correr em locais que não seguem as normas. Estamos nas proximidades do Carnaval e essa situação deve ser observada”, destacou.

Nas redes sociais, diversas pessoas que presenciaram o desabamento do camarote soltaram criticas à organização do evento. Outras, que foram vítimas do acaso, comentaram sobre como se deu o acidente. Uma das pessoas que sofreram com o desabamento foi o promotor de evento Thiago Tavares, que teve seu pé preso ao tablado no momento que o chão cedeu. Em conversa com amigos pelo Facebook, ele conta que sente dores na coluna, na cabeça e não sente as pernas. O rapaz está internado em um hospital particular para a realização de exames mais detalhados.

Em nota, a Destaque Promoções, empresa responsável pela organização do evento, lamentou o incidente. “No local do evento o suporte de primeiros socorros foi prestado a quem necessitou. O Corpo de Bombeiros foi acionado e emitirá um laudo em breve. Em todos os eventos que realiza, a Destaque busca a excelência no atendimento, organização e estrutura para seus clientes e mais uma vez lamenta o ocorrido”, diz a nota.

Compartilhar:
    Publicidade