A magia do tempo – Walter Alves

(São Paulo) – Três vezes governador, Geraldo Alckmin (PSDB) continua em primeiro lugar nas sondagens de opinião. Já não é,…

(São Paulo) – Três vezes governador, Geraldo Alckmin (PSDB) continua em primeiro lugar nas sondagens de opinião. Já não é, porém, o favorito ao quarto mandato apontado nos índices do último trimestre de 2013 e confirmado nos levantamentos de fevereiro.

O tucano começou a perder votos em março. Repetiu-se o prejuízo mês passado. É possível que a evasão de apoios se repita na pesquisa do Ibope fechada hoje e com divulgação prevista para amanhã.

Quem se beneficia das perdas de Alckmin é Paulo Skaf (PMDB), situado na segunda posição e bem distante do terceiro colocado, Alexandre Padilha (PT). Apesar do crescimento continuado de Skaf, presidente (licenciado) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, o tucano tem base político-eleitoral para chegar à frente no segundo turno. E o petista, apesar de mal situado nas sondagens de opinião, não é um qualquer. A candidatura dele é patrocinada por Lula da Silva, competente transferidor de votos. Portanto, o ex-ministro da Saúde não tem nada de cão sem dono. (WG)

Pauta de atritos

O PMDB de Tocantins resiste a dar legenda a Kátia Abreu (foto).

Aspirante à reeleição em outubro, a senadora, originária do PFL (agora DEM), estagiou no recriado PSD antes da recente filiação ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro. O propósito dela contraria interesses de antigos peemedebistas interessados na cadeira que ela ocupa.

Kátia é personagem com histórico de mudança de lado. Foi crítica severa dos governos petistas. Passou a defender Dilma Rousseff e, agora, é interlocutora atenciosa da chefe do governo.

Mas, como presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, a parlamentar e rica senhora de terras e gado mantém clima de indisposição com preservacionistas. É rixa velha.

‘Pós-escrito’: ex-deputada, Kátia Abreu pode fazer viagem de volta à Câmara.

Empate pra valer

Primeira pesquisa (*) sobre a sucessão no Acre.

A disputa renhida tem dois candidatos chamados Sebastião, mas popularizados como Tião.

Um, o petista de sobrenome Viana, é governador em campanha para reeleger-se. O outro, democrata originário do PSDB, lidera o embate. Da família Bocalom, é paranaense de Nova Olímpia.

O representante do DEM tem 36% das intenções de voto; o do PT, um ponto percentual a menos.

(*) Registrada no Tribunal Regional Eleitoral foi contratada pelo jornal ‘O Madeirão’ instituto de opinião acriano.

- Confirmadíssima a candidatura de Eduardo Jorge (PV-SP) ao Palácio do Planalto. Sem chance de ganhar a Presidência da República, a cúpula do partido vai aguardar a dupla finalista para decidir a quem apoiar no turno da definição. A estratégia dos verdes é de ampliar a representação parlamentar – estadual e federal.

- Durante anos secretária-geral da mesa diretora do Senado, Cláudia Lyra é candidata à Câmara dos Deputados pelo PMDB do Distrito Federal.

- Informação do Tribunal de Contas da União: ano passado, o governo central concedeu incentivos tributários da ordem de R$ 204 bilhões. O trabalho de auditoria do órgão constatou perigo para o equilíbrio fiscal e identificou falta de transparência nos benefícios.

- Ronaldo Caiado (DEM-GO) espera trocar o mandato de deputado pelo de senador. O seu projeto está bem encaminhado, conforme atestam pesquisas de avaliação do candidato.

- Tendência majoritária no PR é de desligamento da coligação de apoio à recandidatura da presidente da República. O Partido da República tem 41 deputados federais e oito senadores.

- Amanhã, o DEM dá o seu recado ao país. Entra em rede nacional de rádio (20h às 20h10) e tevê (20h30 às 20h40).

- No jogo de estreia na Copa do Mundo, 13 de junho, em Cuiabá, a seleção do Chile verá na tribuna de honra a presidente de seu país, socialista Michelle Bachelet. Os chilenos enfrentam o time da Austrália.

- Marina Silva, emblemática vice do presidenciável Eduardo Campos, retorna do exterior próxima semana.

- Para refletir: “A política tem a sua fonte na perversidade” (François Marie Arouet – o Voltaire, filósofo francês).

Compartilhar: