‘Abaixa a bola, pobre’, diz mulher durante briga em shopping

A cliente chamada de “pobre” pela outra tenta continuar comendo e diz que “tem medo de maluco”

Escuta aqui, 'ralezinha', eu estou falando a favor de todos", grita a mulher, que também afirma ter medo de pobre. Foto: Divulgação
Escuta aqui, ‘ralezinha’, eu estou falando a favor de todos”, grita a mulher, que também afirma ter medo de pobre.
Foto: Divulgação

Um vídeo com duas mulheres discutindo em uma creperia de um shopping do Rio de Janeiro, em que uma delas aparece gritando “abaixa a bola, sua pobre” para a outra, virou sensação na internet – já havia sido compartilhado mais de 87 mil vezes até o início da noite desta sexta-feira no Facebook. A briga aconteceu entre duas clientes da creperia Crepelocks do shopping Barra Shopping, na Barra da Tijuca, na noite de quinta-feira.

Segundo a creperia, a discussão não tem a ver com os serviços prestados no estabelecimento, que não soube informar os motivos da briga. O vídeo mostra uma cliente em pé, discutindo com uma outra cliente, sentada. A mulher que está em pé parece alterada e chama a outra cliente de pobre, diz trabalhar no Aeroporto Internacional do Galeão há 40 anos e ser moradora de um tríplex. “Quem é você minha filha? Abaixa a bola, pobre. Abaixa a bola”, diz a autora das agressões verbais, que chamou a outra também de “ridícula” e “idiota”. Impressionado com a discussão, um outro cliente começou a gravar o bate-boca e também foi vítima de insultos da mesma cliente, que proferiu frases homofóbicas.

No vídeo, a cliente chamada de “pobre” pela outra tenta continuar comendo e diz que “tem medo de maluco”. A Crepelocks disse que, “diante da alteração de uma das pessoas envolvidas”, a gerente da unidade tentou intervir, pedindo, cordialmente, que a mulher que aparece no vídeo gritando se retirasse do estabelecimento. Como a cliente não saiu e continuou agredindo verbalmente pessoas presentes no local, a creperia chamou seguranças do shopping, “para que profissionais capacitados e treinados pudessem resolver a situação”. “A Crepelocks rechaça qualquer tipo de discriminação e treina seus funcionários para tratar seus clientes com presteza e respeito sempre”, disse a creperia, em nota.

Fonte: Terra

Compartilhar: