Acompanhado da cantora Anna Setton, Toquinho faz show imperdível nesta 6ª

Virtuoso violonista e compositor de temas marcantes da música popular brasileira, ele conheceu a cantora em um barzinho em SP

REGREGERGEG

Conrado Carlos

Editor de Cultura

Mulheres e bate papo sempre deram a tônica na carreira de Toquinho. Parcerias com Clara Nunes, em 1973, com Miúcha, em 1977, e o clássico “Carol Carolina”, composta em dupla com Jorge Ben, atestam a primeira assertiva. Enquanto a conversa ao pé de ouvido com a plateia é uma tradição em seus shows. Portanto, na hora em que surgir no palco do Teatro Riachuelo, na noite desta sexta-feira, ao lado da paulistana Anna Setton, a proposta será mantida. Mas longe de ser mais do mesmo, pois o ícone da bossa nova mantém a produtividade em alta, a apresentação é daquelas que o natalense pode contabilizar como histórica.

Virtuoso violonista e compositor de temas marcantes da música popular brasileira, ele conheceu a cantora em um barzinho em São Paulo. Logo viu o talento da interprete de Tom Jobim, Paulinho da Viola e João Bosco, e a convidou para excursionar. A parceria começou em 2011 e tem um disco a quatro mãos agendado. Ambos conseguem harmonizar voz e acordes em um conteúdo que tem feito sucesso por onde passou. “Acho que será um showzaço. Não só por termos a chance de ver um dos maiores nomes do país em ação aqui em Natal, mas por que essa menina canta muito”, diz Carlos Magno Fernandes, músico e empreendedor do ramo alimentício.

Aos 68 anos, Toquinho, juntamente com Jorge Ben e a turma dos Novos Baianos, são os últimos expoentes da fase áurea da música brasileira. Seu álbum “Quem viver verá”, de 2011, registra o mais recente trabalho autoral elogiado pela critica. Só que no show de hoje à noite, como uma cidade fora do circuito rotineiro dos principais artistas, os clássicos foram a base do repertório. “Aquarela”, “Que maravilha”, “Tarde em Itapoã”, todas estarão lá. “É isso que o povo quer, as famosas mesmo. Vemos muito pouco esse tipo de show, então é a hora de relembrarmos os melhores momentos da carreira de um cara que fez muito pelo país”, confessa Carlos Magno.

A voz suave da bonita Anna Setton o perfaz canções do samba e do choro, presentes na relação que estabeleceu com Toquinho. Os 50 anos de carreira do músico e compositor servem como garantia da qualidade do espetáculo. “Eu já vi vários shows dele, em Recife, no Rio e em São Paulo mesmo [terra natal de Toquinho e de Anna]. Mas aqui em Natal tem um gostinho diferente, por ser a cidade que escolhi viver e por agora termos uma casa de shows bem legal. Vou com minha mulher, por que ela nunca viu Toquinho ao vivo e adora as músicas dele”, diz o paraibano de Campina Grande, radicado em Natal desde os anos 1980.

Compartilhar: