Érika Passarelli, acusada de planejar a morte do pai, tem júri adiado

Justiça remarcou sessão para a próxima segunda-feira (10), a partir de 9h, em Itabirito

Ex-estudante de direito aplicou vários golpes contra lojas de BH. Foto: Record
Ex-estudante de direito aplicou vários golpes contra lojas de BH. Foto: Record

A Justiça decidiu adiar a audiência que definiria o destino da ex-estudante de direito Érika Passarelli, acusada de arquitetar a morte do próprio pai. A sessão, que estava marcada para acontecer nesta quinta-feira (6) foi remanejada para a próxima segunda-feira (10), a partir de 9h. O julgamento será em Itabirito, região central do Estado. O crime ocorreu em agosto de 2010.

Érika responde por homicídio duplamente qualificado, Ela foi denunciada em maio de 2011 e, em dezembro de 2012, a Justiça definiu que a jovem iria a júri popular. Outros dois envolvidos no caso tiveram o processo desmembrado e serão julgados também em Itabirito, sem data definida.

O caso

O corpo de Mario José Teixeira Filho, de 50 anos, foi encontrado em uma estrada na região de Itabirito em agosto de 2010. Érika nega envolvimento no crime e já declarou que se dava bem com o pai. No entanto, testemunhas relatam que os dois tinham constantes discussões por causa de dinheiro. Além da morte, Érika foi acusada de aplicar vários golpes contra lojas em Belo Horizonte. Ela ficou foragida e foi recapturada em março de 2012.

 

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade