Advogado é preso acusado de crimes sexuais pela internet

Homem chantageava as vítimas em busca de sexo

Acusado tinha um perfil feminino falso nas redes sociais. Foto: Reprodução/Record Bahia
Acusado tinha um perfil feminino falso nas redes sociais. Foto: Reprodução/Record Bahia

Um advogado está preso na sede da Polinter (Polícia Interestadual), nos Barris, em Salvador, acusado de extorsão e crimes sexuais pela internet. Ricardo Lopes Hage é casado com uma juíza do Trabalho e parente do ministro-chefe da CGU (Controladoria Geral da União), Jorge Hage.

A prisão temporária de 30 dias, iniciada na última sexta-feira (18), foi solicitada pela Justiça após denúncias de mulheres e até adolescentes que acusaram o advogado de chantagem. O sigilo telefônico do jurista foi quebrado e mandados de busca e apreensão para capturar de fotos, papéis, celular, aparelhos eletrônicos e qualquer mídia que armazene dados que estejam em poder do investigado e na sua residência, situada em um condomínio de luxo no bairro de Patamares, foi expedido.

De acordo com as investigações do setor de inteligência da Secretaria de Segurança Pública, o acusado tinha um perfil feminino falso no Facebook, conquistava a amizade das mulheres e pedia fotos íntimas. O advogado conseguia número de telefone, revelava que era homem, fazia propostas indecentes e enviava imagens obscenas. Ele ameaçava divulgar na internet o teor do contato, caso não obtivesse sexo. O processo já está em segunda instância e corre na Segunda Turma da Segunda Câmara Criminal do TJ-Ba (Tribunal de Justiça da Bahia).

 

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade