Afilhada de Dom Pedro III está ficando parecida com a mãe de Dom João VI – Alex Medeiros

Por Augusto Nunes Deslumbrado com a vitória do PT na eleição de 2010, o marqueteiro João Santana resolveu transformar o…

Por Augusto Nunes

Deslumbrado com a vitória do PT na eleição de 2010, o marqueteiro João Santana resolveu transformar o gabinete presidencial em sala do trono e promover Dilma Rousseff a rainha. “Ela tem tudo para ocupar esse espaço que só foi parcialmente ocupado pela princesa Isabel”, caprichou no chute o vidente baiano. A bola de cristal bateu na trave.

Não há semelhanças entre a afilhada de Lula (que se nomeou Dom Pedro III ao decretar a transposição das águas do São Francisco) e a princesa que aboliu a escravidão. Cartas escritas ao pai e outros documentos históricos mostram que Isabel sempre teve a cabeça no lugar. Mas o falatório de Santana faria algum sentido se, em vez da filha de Dom Pedro II, tivesse evocado a mãe de Dom João VI. Como notou nosso Reynaldo-BH, quem tem muito a ver com Dilma é dona Maria I de Portugal, a primeira rainha do Brasil.

Maria Francisca Isabel Josefa Antónia Gertrudes Rita Joana de Bragança já se tornara conhecida como Maria, a Louca quando chegou ao Brasil em 1808. Até morrer oito anos depois, justificou diariamente o cruel cognome. Ela acordava no meio da madrugada, por exemplo, para ordenar que todos ficassem longe do Pão de Açúcar: era ali a morada do diabo, advertia aos berros.

Dilma Rousseff, faça-se justiça, ainda não enxerga demônios a serviço da oposição pendurados nas encostas do Corcovado. Mas a safra de sandices em dilmês colhida nos últimos dias deixaria assustada a mais antiga mucama de Maria I. Dois exemplos:

“Nesses dez anos nós lutamos para quê? Nós lutamos para que a saúde bucal, os nossos dentes, todo o tratamento bucal, que, como disse o Chioro, é a porta de entrada daquilo que nos alimenta e faz com que nós continuamos vivendo, daquela água que nós bebemos e faz com que nós sobrevivamos, que faz também que nós sejamos humanos, porque uma coisa que nos diferencia de qualquer outra espécie, nós nos comunicamos pela fala, e ainda mais humano do que tudo, nós somos aquela espécie que sorri e também chora, mas sorri, que acha graça, que ri”.

“A gente ia de helicóptero e eu olhei para as propriedades, era em plena região do semiárido. E o que a gente via? A gente via uma porção de pontos brancos, alguns cinzas, via cinza também, porque cinza é mais difícil de ver de lá cima, mas você via isso. E o que me parecia? Eu falei, olha é a quantidade de estrelas no céu é a quantidade de cisternas no chão. As cisternas era uma espécie das estrelas no chão. Isso porque, de fato, ela permite que as pessoas tenham acesso à água”

Neste sábado, a presidente que enxerga um cachorro oculto por trás de cada criança baixou no Rio para festejar a incorporação ao “legado da Copa” de uma das raríssimas “obras de mobilidade urbana” visíveis a olho nu. Segundo o Portal do Planalto, ficou tão emocionada que disse o seguinte:

“E aí eu chego aqui no Transcarioca. O quê que é, eu vou dizer para vocês o quê que é, de fato, absolutamente fantástico nesse BRT Transcarioca. Quê que é?”

Alucinações verbais de calibre semelhante precipitaram a interdição de Maria I, obrigada a repassar ao filho regente o efetivo comando do reino. Embora viva dizendo coisas sem pé nem cabeça há muito tempo, Dilma Rousseff quer continuar no trono pelo menos até 2018. (AN, no site da Veja)

Marinho Chagas

Foi preciso muito esforço dos dirigentes do ABC para fazer a FIFA liberar o Frasqueirão para o velório do nosso craque. Não fosse o fato dele ter sido jogador de Copa do Mundo, certamente o local não seria cedido pelos poderosos da Máfia FC.

Gesto

Poucas horas antes do sepultamento de Marinho, os amigos e fãs descobriram o grande gesto do Grupo Vila, que doou o túmulo e todo o serviço funerário do ídolo, que teve um sepultamento digno da sua amplitude profissional e do mito em que se tornou.

Craques

Grandes jogadores contemporâneos de Marinho no ABC estiveram no Frasqueirão, em destaque o trio Alberí, Edson e Gonzaga, remanescentes dos tempos de Juvenal Lamartine e responsáveis diretos pela quebra do jejum de títulos em 1970.

Micarla

A jornalista e ex-prefeita de Natal, Micarla de Sousa, esteve ontem à tarde no velório de Marinho Chagas. Foi ela quem o nomeou “Embaixador da Copa”. Infelizmente, quando ela foi retirada da prefeitura, alguém tratou de cortar o salário especial do craque.

Alberi 70

Em 2015, ano do centenário do ABC, o ídolo completará 70 anos em janeiro. Dirigentes, amigos e fãs têm o dever lúdico de festejar a data da melhor maneira que o “negão” merece. Alô, Rubinho, Tertuliano, Mulatinho, Claudio Porpino, Zé Wilson!

Transtornos

Os problemas no aeroporto Aluizio Alves ganharam a mídia nacional, com direito à chamada no Jornal Nacional. Um amigo do colunista decidiu ir até o local num horário sem tráfego, 23h30, e mesmo assim levou 45 minutos para chegar.

Pesquisa

Entrevistadores do Datafolha estão nas ruas desde o fim de semana, apurando mais uma amostra do sentimento popular com a eleição presidencial. Há quem diga que os petistas já estão sofrendo de um mal chamado TPD, “tensão pré Datafolha”. Será?

Estranho

Não dá para entender como um partido político tem apenas um governador nos 27 estados da Federação e este é impedido pela própria legenda a concorrer à sua reeleição. Pior que o DEM é presidido nacionalmente por quem não apoia Rosalba Ciarlini.

Acordão

O deputado Fernando Mineiro (PT) escolheu o acordão local do PMDB como bandeira de campanha. Mas, será que seu partido tem legitimidade para tal discurso? Está no poder junto com Sarney, Jader Barbalho, Paulo Maluf, Renan Calheiros e Collor.

Sandice

O comentarista PVC contraditou Fernando Calazans sobre Marinho Chagas. O robô “Data” da ESPN prefere Junior e Roberto Carlos. O 1º confessou que imitava a “Bruxa”, o 2º jogou menos que Bigode, Jordan, Dalmo e Marcelo, todos abaixo de Marinho.

Rock 3 em 1

Próximo sábado, 7, tem mais uma edição do “Rockabilly no Posto”, ali na loja “5Quentona” da Prudente de Morais. O evento começa às 17h com três atrações, as bandas Black Panzer, The Big Daddy e a estreia da The Bop Hounds.

Compartilhar:
    Publicidade