Saída de delegado da Dehom gera nota de repúdio dos agentes e escrivães

Policiais afirmam que, caso se concretize a transferência do delegado Laerte Jardim Brasil, vão colocar os cargos na Dehom à disposição da Degepol.

Foto: Sérgio Costa / Portal BO
Foto: Sérgio Costa / Portal BO

Os agentes e escrivães que trabalham na Delegacia Especializada em Homicídios fizeram uma nota de repúdio à transferência do delegado Laerte Jardim Brasil daquela unidade. Eles afirmam que, caso o delegado seja retirado da Dehom, todos irão colocar seus cargos à disposição para que também sejam retirados da especializada. O mesmo será feito pelos delegados que atuam na Dehom.

Veja nota de repúdio:

Todos os agentes e escrivães lotados nesta Delegacia Especializada de Homicídio – DEHOM Natal repudiam com veemência a transferência do Delegado Laerte Jardim Brasil para a Delegacia Especializada de Atendimento ao Turista- DEATUR, pois o referido Delegado foi o principal idealizador dos projetos de implantação de uma Divisão de Homicídios e proteção a pessoa(DHPP), em constante luta para que a delegacia de Homicídios realizasse as investigações de crimes contra a vida desde seu nascedouro, ou seja, do local de crime até a conclusão do Inquérito Policial, visto que atualmente, as atribuições da referida Especializada encontram-se anacrônicas e em desacordo com a tendência nacional. Não obstante, tamanha luta é compatível com sua pessoa, desde o início comprometida com a instituição Polícia Civil e principalmente com a investigação de crimes contra a vida (CVLI).

Despicienda a necessidade de enumerar a contribuição do referido Delegado no combate a esse tipo de crime, visto já ter realizado inúmeras prisões e operações, inclusive desarticulando um dos maiores grupos de extermínio atuantes na Região Metropolitana de Natal.

Ao longo de 10 anos vem lutando pela criação desta Divisão e que agora surpreendentemente lhe foi oferecido um “prêmio”, para ir para a Força Nacional, em troca da renúncia de seu projeto, que ele mesmo denomina de “sonho”, um ideal perfeitamente possível e exaustivamente pesquisado, elaborado e adaptado as exigências da Cúpula de Segurança do Estado, mas que por motivos não alcançados pelo efetivo que compõe esta delegacia, jamais saíram do papel, numa evidente omissão às mais de mil mortes já alcançadas apenas no ano de 2014.

Desta feita, diante de tal quadro, os agentes e escrivães desta Especializada irão propor a sua remoção e pronta disponibilidade à Diretoria de Polícia da Grande Natal – DPGRAN para que exerça o que entender de direito, ressaltando que são policiais civis do Estado do Rio Grande do Norte e estão prontos para servir em qualquer unidade policial.

Assinam: Agentes e Escrivães da DEHOM.

Compartilhar:
    Publicidade