Agressão ao bom senso

Nada contra a prefeita afastada de Mossoró, Claudia Regina, que por sinal teve sua gestão muito bem avaliada no período…

Nada contra a prefeita afastada de Mossoró, Claudia Regina, que por sinal teve sua gestão muito bem avaliada no período em que esteve no cargo e sempre conseguiu ter boas opiniões a seu respeito circulando nos meios políticos do Rio Grande do Norte. Mas, sua participação no pleito mossoroense, para suceder ao mandato da qual foi cassada, é, no mínimo, uma agressão ao bom senso.

Não há registros na história da nossa política, até em termos nacionais, de um candidato que foi condenado a perda do cargo e, mesmo com a posição da Justiça contra a sua vitória, teve condições de se candidatar para suceder a si mesma. Fato responsável por colocar Mossoró, de novo, no rol do pioneirismo, e, coincidentemente, mais uma vez com uma mulher.

Entretanto, o pior de toda essa história, é a insegurança jurídica causada na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, que enfrenta desde o final de 2013 uma indefinição total quanto ao seu comando. Após mais de 10 condenações na Justiça, Claudia acabou perdendo o mandato, pelo qual brigou o quanto pode. Desde então, o que se viu foi uma sequência de incertezas sobre o que seria do Palácio da Resistência.

Com isso, já se vai quase 50% do mandato atual, prejudicando de forma decisiva o desenvolvimento e o crescimento econômico de um município fundamental para o RN. A torcida fica para que a população aguerrida da cidade consiga vencer mais este desafio. Não dá é para assistir a tamanha violência com uma população que merecia muito mais do que o simples respeito ao bom senso. E nem isso tem conseguido ultimamente

PREFEITO VIAJANTE

O prefeito Carlos Eduardo Alves anunciou, quase que de surpresa, uma viagem para a Europa, onde passará a Semana Santa cumprindo agenda administrativa, em reuniões com investidores. O gestor foi ontem e só volta no dia 27. Mas, acreditem, não repassou o cargo para ninguém. Natal está sem prefeito.

INSEGURANÇA JURÍDICA

Agora a polêmica jurídica está criada. Até ontem, imaginava-se que o cargo tinha que ser repassado para o vice-prefeito, em caso do titular se ausentar do país, de forma automática, como acontece em relação a governadores de Estado e até a Presidência da República. Mas, o problema, é que Wilma de Faria não pode assumir a função, já que é pré-candidata ao Senado este ano. Ou seja, teria que renunciar a Vice-Prefeitura. Será?

SUCESSÃO

O mesmo problema atinge o presidente da Câmara, Albert Dickson. Se Wilma renunciar, o vereador ficaria obrigado a substituir o prefeito viajante. A não ser que também renunciasse a Presidência da CMN. Aí, a vez ficaria com o atual vice da Casa, Júlio Protásio. Coincidentemente, o parlamentar está de licença médica, para se submeter a uma cirurgia de vesícula. Se não encerrar a licença, o cargo cai no colo de Maurício Gurgel, segundo vice

REPETECO

A situação é parecidíssima com a enfrentada por Natal no final de 2012, quando Micarla de Sousa foi afastada da função por ordem da Justiça. Paulinho Freire, o então vice, teve que renunciar antes de ser diplomado vereador para não perder o mandato. Edivan Martins, então presidente da Câmara, também fez o mesmo. Sobrou para Ney Júnior.

FINALMENTE

O Diário Oficial do Estado traz hoje o pedido da secretária de Turismo, Gina Robinson, junto ao Idema, para a reforma e ampliação do Centro de Convenções de Natal. A iniciativa é uma antiga reivindicação do trade potiguar e é apenas o primeiro passo para o início da obra. Mas já é alguma coisa.

DINHEIRO SOBRANDO

Também no Diário Oficial de hoje, publicada pelo Departamento de Estradas de Rodagens, a contratação “de integrados responsável pela prestação de serviços de locação, instalação, montagem, manutenção, conservação e desmontagem de estruturas complementares da Arena das Dunas e das estruturas, com planejamento, coordenação, monitoramento e fornecimento de infraestrutura e apoio logístico para a Copa”. Valor da brincadeira: R$ 22,9 milhões.

PESCADOS

Quem diria. A governadora Rosalba Ciarlini, em sua pré-campanha a reeleição, foi até Goianinha participar da distribuição de peixes para a Semana Santa em uma localidade do município. Nada contra o projeto, que tem sua importância social, mas um chefe de executivo estadual participar de um ato simplório, que muitos prefeitos do interior nem valorizam, foi demais.

OPORTUNIDADE

A FGR Urbanismo está comercializando os lotes ainda disponíveis no Jardins Amsterdã, por meio de uma parceria firmada com a Caixa Econômica Federal (CEF). É mais um benefício, com condições especiais, para quem já adquiriu ou para quem deseja comprar um lote no Jardins Amsterdã. O financiamento será em até 120 meses e os lotes disponíveis variam de 405,93 a 1.896,11 metros quadrados.

GIRA MUNDO

Depois do tomate, do combustível e da energia elétrica, agora até o preço da Mega-Sena vai aumentar. A aposta mínima, que atualmente custa R$ 2 para seis números, vai aumentar para R$ 2,50 (alta de 25%) a partir de 11 de maio. Uma portaria publicada nesta quinta-feira (17) no Diário Oficial da União autoriza a Caixa Econômica Federal a reajustar o valor das apostas da Mega e também da Lotofácil e da Quina. De acordo com a portaria, a aposta mínima da Lotofácil, com 15 números, passará de R$ 1,25 para R$ 1,50 (20%) a partir do dia 10 do próximo mês. E a aposta mínima da Quina, com cinco números, aumentará dos atuais R$ 0,75 para R$ 1 (33%) a partir de 11 de maio.

Compartilhar:
    Publicidade