Alexandre Carlo deixa o reggae do Natiruts para lançar disco de black music

"Esse som não é aventura", diz o cantor sobre o álbum "Quatz"

Cantor fará trabalho paralelo ao Natiruts. Foto:Divulgação
Cantor fará trabalho paralelo ao Natiruts. Foto:Divulgação

Alexandre Carlo, que ficou conhecido como cantor e compositor à frente do grupo de reggae Natiruts, dedica-se a dar vazão à outra face de sua persona musical.

Paralelamente à banda, lança o disco “Quartz”, trabalho solo no qual reúne músicos em sua maioria saídos de Brasília, onde Carlo nasceu e foi criado.

“(Trabalhar com músicos de Brasília) foi um conceito mesmo. Eu queria chegar a esse sotaque nesse trabalho. Não é bairrismo, é só para saber o sotaque de soul music que Brasília tem”, disse.

Com influências e sonoridade final bem diferentes das de seu trabalho com o Natiruts, Carlo compôs todas as dez faixas e conta, eventualmente, com algumas parcerias, como a dos rappers Rashid e Projota, que trazem sotaques paulistanos ao projeto.

“Esse som não é uma aventura, já faz parte das minhas influências musicais. Nesses 17 anos em que venho compondo reggae fiz canções de outros estilos, mas só deu tempo agora de me concentrar nesse trabalho diferente.”

Em “Quartz”, há músicas com ares modernos, efeitos eletrônicos e grooves suaves como na faixa “Last Night”, com participação de Rashid na parte do rap. O disco soa muito diferente de qualquer trabalho que Carlo gravou com o Natiruts – o que o mostra como um cantor renovado.

Já o samba pode ser sentido em faixas como “Só a Gente Sabe”, com participação do irmão de Carlo, Caê du Samba, que já trabalhou como puxador de samba no carnaval de Brasília.

Para escrever as músicas de “Quartz”, algumas já com dez anos de criação, Carlo defende que o potencial sucesso das canções está relacionado “a uma questao de o que (o compositor) sente mais a vontade de compor. Com o Natiruts, cabe algo mais espiritual por ser reggae. Já nesse disco solo posso ir para o lado mais de festa, noite, amor.”

Fonte:IG

Compartilhar: