Alternativos ameaçam reduzir tarifas e invadir itinerários de ônibus

Percursos integram os principais corredores da cidade, como as avenidas Prudente de Morais, Salgado Filho, Rio Branco e Bernardo Vieira

ththrthrh

Está declarada novamente a guerra entre o Sindicato dos Proprietários de Transportes Alternativos de Passageiros (Sitoparn) e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Natal (Seturn). Após assembleia realizada nesta última quarta-feira (26), na Praça Yapissara Aguiar, zona Norte de Natal, o Sitoparn decidiu que a partir da quinta-feira (6), pós-Carnaval, o Sindicato irá reduzir o preço da tarifa para R$ 1,50 e os alternativos irão transitar em todos os itinerários dos ônibus das empresas que integram o Seturn. Estes percursos integram os principais corredores da cidade, como as avenidas Prudente de Morais, Salgado Filho, Rio Branco e Bernardo Vieira.

A bilhetagem eletrônica unificada permite à população fazer uso do ônibus ou alternativo através de um único cartão de passagem. De acordo com o decreto do Município que estabelece a unificação da bilhetagem eletrônica, publicado no dia 10 de fevereiro no Diário Oficial do Município, o prazo máximo para a implantação da bilhetagem era a última terça-feira (25).

Como não foi cumprido devido ao impasse entre Sitoparn e Seturn, caberá agora à Prefeitura assumir a comercialização e operacionalização da bilhetagem eletrônica unificada. Entretanto, segundo o procurador-geral do Município, Carlos Castim, uma nova matéria será enviada à Câmara Municipal com novas regras e uma proposta de licitação para empresas que se interessarem em gerir a comercialização das passagens e a operação do sistema. Ainda será enviado ao Legislativo um texto que prevê punições aos prestadores de serviço – Seturn e Sitoparn – que não cumprirem as novas regras. A previsão é de que a unificação do transporte coletivo entre em vigor ainda neste semestre, mas o Decreto Provisório publicado em 10 de fevereiro já não tem mais validade.

De acordo com José Pedro dos Santos Neto, o Pedrinho dos Alternativos, diretor de comunicação do Sitoparn, a categoria está revoltada e tomará medidas mais enérgicas até a implantação da bilhetagem eletrônica unificada. “Não tem mais o que esperar. O Seturn busca lucros exorbitantes em cima da classe trabalhadora, que acaba sendo a mais prejudicada. Não queremos neste momento confronto com o município, mas esperamos que a Semob não se meta na situação. Ela tem todo o poder de enquadrar o Seturn, mas não faz. A Semob diz que o transporte alternativo não tem regras e também alega que a licitação que rege os alternativos – ainda da gestão da prefeita Wilma de Faria – está vencida, mas entendemos que não está, porque não teve outras licitações”, declarou.

Ainda segundo Pedrinho dos Alternativos, até o próximo dia seis, dia marcado para a redução do preço da tarifa e para que os alternativos transitem nos itinerários das empresas de ônibus, o Sitoparn irá comunicar as medidas junto à população e entidades. “Vamos informar à sociedade e oficializar junto às autoridades como Prefeitura, Semob, Procuradoria do Município, Procon Estadual e Municipal e Ministério Público. É importante também dizer que todos estes órgãos foram avisados que desde o dia 20 de dezembro a Seturn parou de vender os vales para o transporte opcional, alegando que o sistema está fora do ar. Avisamos a estes órgão há mais de 30 dias e até agora nada. Não aguentamos mais esta situação. E queremos deixar muito claro que vamos aumentar a pressão e iremos até as últimas consequências até a implantação da bilhetagem eletrônica unificada”, alertou.

Compartilhar:
    Publicidade