Alunos da rede estadual participam da maior feira de ciências e engenharia do país

São oito os projetos potiguares que estão concorrendo com todo o Brasil, a uma vaga para representar o país na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel, em Los Angeles

 

Em 2013, estudantes potiguares conquistaram 1º lugar em duas categorias da FEBRACE. Foto:Divulgação
Em 2013, estudantes potiguares conquistaram 1º lugar em duas categorias da FEBRACE. Foto:Divulgação

22 estudantes  e nove professores participam até esta quinta-feira (20), em São Paulo, da Feira Brasileira de Ciência e Engenharia da USP – Febrace. As equipes representam escolas estaduais dos municípios de Antônio Martins, Apodi, Mossoró, Paraú, Tibau e Umarizal e foram formadas a partir das pesquisas de iniciação científica que vem sendo trabalhadas pelos professores desde o nao passado, para que os projetos fossem desenvolvidos em nível de excelência científica e representassem bem a iniciação científica do Estado.

Neste ano, os projetos que se destacaram foram: Uso da casca de castanha como fonte de energia para indústria de cerâmicas; Caracterização e estudo da estabilidade oxidativa do biodiesel de sebo bovino em diferentes condições de armazenamento; Dispositivo de segurança por sensoriamento em ultrapassagem; o reaproveitamento do óleo de cozinha para a fabricação do sabão; Avaliação do potencial eólico do município de Apodi; Real-brasileirismo: uma proposta para mudança de atitude; Tibau rumo à sustentabilidade, através da cultura do coco; e Uso da naturopatia no tratamento de ferimentos cutâneos.

São oito os projetos potiguares que estão concorrendo com todo o Brasil, a uma vaga para representar o país na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel, em Los Angeles (EUA). Ao longo do ano passado, os estudantes enfrentaram várias etapas de avaliação, para poder apresentar suas pesquisas na FEBRACE. Os trabalhos foram selecionados, durante as feiras de ciências organizadas pela Secretaria de Estado da Educação, em parceria com a UFERSA e a UERN. 

Durante a seleção estadual, os projetos foram submetidos a rigorosos critérios de avaliação, desde o uso do método científico, criatividade e relevância, clareza e objetividade na exposição do projeto e profundidade da pesquisa. Quando forem avaliados na FEBRACE, os mesmos critérios serão observados pela comissão julgadora, com igual peso para os trabalhos das quatro regiões do País.

Esse é o terceiro ano que a Educação Pública Estadual reserva seu espaço na Febrace, impulsionada pelo incentivo que a Secretaria de Estado da Educação tem dado a produção científica nas escolas, através do projeto RN Ciência. “Muitos prêmios nacionais e internacionais já foram conquistados por nossos estudantes nos dois primeiros anos e o nosso desejo é que essas conquistas sejam replicadas a partir do exemplo de jovens como os da Zona Rural de Apodi, que ano passado conquistaram o primeiro lugar da FEBRACE, nas categorias Empreendedorismo e Ciências Agrárias”, ressaltou a secretária Betania Ramalho.

Em 2013, além do destaque na FEBRACE, os estudantes Antonio Geracino, Francisco Jociel e Huguenberg Santos, da Escola Estadual Zenilda Gama, da Zona Rural de Apodi, conquistaram 30 minutos de exposição nacional no Quadro Jovens Inventores, do programa Caldeirão do Huck, da Rede Globo. Eles desenvolveram um revestimento a base da cera do mel de abelha, capaz de oferecer mais durabilidade aos frutos.

No ano anterior, os estudantes Jonas Medeiros, Marcondes Matheus e Flávia Kaliny, foram selecionados para participar da Feira Internacional de Empreendedorismo Produtivo, Ciências e Cultura do Equador, a partir do desempenho na FEBRACE. Logo depois, também conquistaram passaporte para o Fórum Internacional de Ciências de Londres (Inglaterra), com o apoio incondicional da Secretaria de Estado da Educação.

A delegação potiguar que participa da FEBRACE 2014 retorna ao Estado na próxima sexta-feira (21). Com o apoio do Governo do Estado, os estudantes embarcaram para São Paulo no último sábado (15), acompanhados de professores e diretores das regionais de educação em que suas escolas estão situadas.

Compartilhar: