ALVO

Para quem acha que o deputado estadual José Dias ‘bateu’ na família Alves, é bom ler com atenção sua entrevista.…

Para quem acha que o deputado estadual José Dias ‘bateu’ na família Alves, é bom ler com atenção sua entrevista. Na verdade, o marido de Diúda fez uma avaliação real do que houve na história recente do RN, governado direta ou indiretamente pelas famílias Alves e Maia. O detalhe que alguns não perceberam é que Zé Dias livrou da avaliação negativa o líder Aluízio Alves e o ministro Garibaldi Filho, os dois Alves que chegaram ao Governo do RN.

REALISTA

O que José Dias falou é a mais pura realidade. O Rio Grande do Norte vive na vanguarda do atraso, culpa dos governos que se sucederam e não fizeram o básico. Pelo fato do parlamentar ser casado com uma irmã de Aluízio Alves não o impede de fazer uma avaliação mais realista da situação. Pelo contrário. O marido de Diúda foi corajoso e verdadeiro. Ou alguém acha que o RN é uma maravilha?

CONSTRANGIMENTO

A governadora Rosalba Ciarlini não vai aceitar de forma passiva a negativa da legenda para concorrer à reeleição. O governador de fato do RN, Carlos Augusto Rosado, já decidiu que vai até o fim com a candidatura da esposa; caberá ao senador José Agripino ‘sujar as mãos’ para negar a sigla e ficar com a fama de traidor. Não será fácil para o pai de Felipe passar por esse constrangimento.

CANDIDATURA

A filha de Jaime Calado, prefeito de São Gonçalo do Amarante, Mada Maia, está sendo estimulada a ser candidata a deputada estadual. Mada é uma forte candidata, pois sairá com grande votação da cidade administrada pelo pai e será ajudada também em outras cidades da Grande Natal. Para Jaime, que está bem avaliado no município, será uma prova de prestígio político eleger a filha deputada estadual.

MUDANÇA

Cresce dentro do PMDB a desconfiança em relação ao posicionamento da ex-governadora Wilma de Faria. Com retrospecto de mudar de posição abruptamente e transformar aliados em adversários, a mãe de Lauro poderá repetir a dose e deixar seu atual parceiro de chapa, Henrique Alves, sozinho e sem ter como disputar o pleito majoritário.

CENÁRIO

Em 2002, Wilma de Faria era prefeita de Natal e concedia várias entrevistas dizendo que seu candidato a governador era Henrique Alves, que ocupava a então toda poderosa Segov do Governo Garibaldi Filho. O primo de Carlos Eduardo era o candidato oficial a governador e esperava contar com o apoio de Wilma, a quem havia ajudado a eleger e cuja gestão recebia todo o respaldo do Governo do Estado. Henrique terminou não sendo candidato por causa de denúncias de enriquecimento ilícito.

CENÁRIO II

Quando o mês de abril se aproximou, Wilma de Faria fez uma pesquisa em que sua possível candidatura ao Governo seria bem aceita pela população. A então prefeita de Natal deixou de lado o apoio à candidatura do PMDB, renunciou à Prefeitura e foi candidata justamente para derrotar o nome do PMDB, então governador Fernando Freire.

CENÁRIO III

Portanto, o script pode se repetir em 2014. Há rumores que Wilma estuda pesquisa para identificar a realidade do quadro eleitoral do RN. Se estiver empatada com Fátima Bezerra para o Senado e favorita para o Governo, a mãe de Márcia deixa Henrique pendurado no pincel da ilusão e assume novamente candidatura ao Governo do Estado. Vindo de Wilma não surpreende. É da natureza dela.

DERROTA

Sherloquinho diz que o deputado estadual Agnelo Alves, nas conversas políticas familiares, assusta a candidatura do sobrinho Henrique Alves com a opinião de que o filho de Aluízio perde a eleição para governador. Uma parte da família concorda com Neco e também acha que Henrique é ‘pesado’ para majoritária.

Compartilhar: