América é dominado pela Ponte Preta e mais uma vez perde dentro de casa

Técnico Oliveira Canindé foi chamado de burro pela torcida americana

Adrianinho abriu o marcador para a Ponte com um golaço. Foto: Divulgação
Adrianinho abriu o marcador para a Ponte com um golaço. Foto: Divulgação

O América mais uma vez deixou escapar a chance de encostar no G4 e nem de longe lembrou a equipe das duas últimas partidas, aonde venceu o Fluminense e o Icasa, sempre jogando fora de casa.

Com uma atuação irreconhecível, o time rubro não criou nenhuma chance de perigo ao gol da Ponte Preta e nada pôde fazer para evitar a derrota.

A equipe paulista comprovou o bom momento e entrou de vez na briga por uma das quatro vagas à Série A de 2015.

Com um início arrasador no segundo tempo, o time campineiro não tomou conhecimento do América e venceu por 2 a 0 em jogo válido pela 17ª rodada da Série B.

Adrianinho, com um golaço, e Rafael Costa, de pênalti, garantiram o resultado positivo.

Essa foi a primeira vez nesta Série B que a Ponte conseguiu emplacar três vitórias seguidas – havia vencido Bragantino e Joinville, ambas em Campinas – e a sequência positiva a colocou entre os melhores colocados, com 28 pontos. Por outro lado, o América estacionou nos 23 e continua na zona intermediária.

TREINADORES FIZERAM A DIFERENÇA

Depois de passar quase todo o primeiro tempo sendo pressionada, a Ponte Preta voltou com outra cara do intervalo e “matou” a partida nos primeiros dez minutos do segundo tempo. E a mudança de postura se deve ao técnico Guto Ferreira. O comandante alvinegro organizou o time explorando as investidas de Cafú pela direita, enquanto o limitado Oliveira Canindé ficou passivo na beira do gramado, vendo o banho tático que estava tomando.

EQUILÍBRIO E BOLA NA TRAVE

Os dois times mostraram que queriam manter o bom momento e, mesmo jogando fora de casa, a Ponte Preta começou melhor. Rodinei fez boa jogada pela lateral direita e cruzou rasteiro. A bola passou por todo mundo, inclusive pelo atacante Rafael Costa, que não acreditou no lance e perdeu boa oportunidade. Aos 12 minutos, Adrianinho arriscou de fora da área e Andrey espalmou, meio sem jeito, espalmou para escanteio.

A primeira finalização do América veio apenas aos 20, quando Wanderson recebeu na entrada da área e bateu rasteiro. Mas a finalização saiu fraca e Roberto defendeu com segurança. O América começou a se soltar e, depois de uma boa troca de passes, Rodrigo Pimpão cruzou e Wanderson desviou de primeira. O goleiro pontepretano segurou sem dar rebote. Na sequência, a bola foi cruzada, passou por Roberto e Diego Sacoman salvou quase em cima da linha.

Apoiado pela torcida, o América começou a dominar a partida e encurralou a Ponte Preta em seu campo de defesa. Após bate e rebate, Pimpão finalizou rasteiro e a zaga aliviou o perigo. A Ponte caiu de rendimento e não conseguia mais criar boas jogadas ofensivas. Aos 40, Rodinei cruzou, Rodinei dominou e bateu em cima do zagueiro. Na cobrança de escanteio, Andrey saiu errado e a bola sobrou para Tiago Alves, que soltou a bomba na trave.

INÍCIO ARRASADOR

Assim como no primeiro tempo, a Ponte voltou do intervalo pressionando o América e quase abriu o placar aos 40 segundos. Adrianinho tocou errado, mas a zaga alvirrubra se atrapalhou e Rafael Costa tocou em cima de Andrey, que desviou pela linha de fundo. A equipe paulista não desperdiçaria aos quatro minutos. Cafú fez grande jogada e tocou para Rafael Costa, que bateu em cima do goleiro. Adrianinho tentou uma vez e, na segunda chance, deixou um adversário deitado no chão antes de finalizar no cantinho, marcando um golaço.

E não demoraria muito para a Ponte fazer o segundo. Rafael Costa ajeitou para Roni, que invadiu a área e foi derrubado por Fabinho. O árbitro não titubeou e assinalou pênalti. Rafael Costa bateu rasteiro no canto direito de Andrey. Logo depois, Cafú puxou contra-ataque e deixou o camisa 9 na cara do goleiro, mas ele finalizou em cima do adversário, que fez grande defesa. A torcida alvirrubra perdeu a paciência com o time e vaiou o técnico Oliveira Canindé quando ele colocou Isac no lugar de Rodrigo Pimpão.

Com dois jogadores altos lá na frente, o clube da casa passou a abusar as bolas aéreas. Em uma delas, Cléber cabeceou por cima do gol. Na frente, a Ponte recuou e passou a jogar no contra-ataque, com Cafú, Roni, Anderson Bartola e Rafael Costa. Sem criatividade, o América não conseguiu furar o bloqueio alvinegro e a partida terminou sem maiores emoções.

PRÓXIMOS JOGOS

O América volta a campo no próximo sábado, contra o Náutico, às 16h10, na Arena Pernambuco, em Recife, pela 18ª rodada. Na sexta-feira, a Ponte Preta vai até Belo Horizonte enfrentar o América-MG, às 19h30, na Arena Independência.

Fonte: Futebol Interior

Compartilhar: