Americanos alertam turistas sobre RJ: “Venham para o mundial, nadem com fezes”

Global Post entrevistou biólogo Mario Moscatelli, que chamou a Baía de Guanabara de latrina pela séria degradação ambiental do local nas últimas duas décadas

Baía de Guanabara. Foto: Divulgação
Baía de Guanabara. Foto: Divulgação

O site americano Global Post não poupou críticas ao Rio de Janeiro, cidade mais famosa do Brasil internacionalmente, às vésperas da Copa do Mundo. “Venha para o Mundial, nade com fezes”, estampou o veículo em uma notícia sobre a cidade que receberá a final da competição, na qual critica e aponta os problemas severos do saneamento básico da capital carioca.

Abrindo o artigo com dados de que apenas 40% do esgoto fluminense é tratado, o Global Post entrevistou o biólogo Mario Moscatelli, que chamou a Baía de Guanabara de latrina pela séria degradação ambiental do local nas últimas duas décadas.

Sobre o mar com peixes deformados, sofás flutuantes e tartarugas mortas dentro de pneus, a publicação destacou o fato de 12 localidades da região sul da cidade – a mais rica – estarem impróprias para banho ao final de maio.

Sobre as regiões mais humildes da capital carioca, o site evidenciou que a situação é ainda pior e o governo local está mais interessado em investir em um bonde milionário na Rocinha em vez melhorar o saneamento da região.

O Global Post concluiu a parcela crítica da notícia falando dos riscos do esgoto não tratado, especialmente nas praias do Rio de Janeiro. Diarréia, infecções de parasitas, leptospirose (consequência da presença de ratos) e problemas de pele estão entre as doenças que a população local e turistas estarão vulneráveis durante a Copa do Mundo.

A publicação ainda abordou o fato de que o governo local não se importa com esta questão “invisível”, de impacto discreto em uma corrida eleitoral. Como exemplo é citado o corte de investimentos para o saneamento previstos para os Jogos Olímpicos de 2016, que eram de US$ 1 bilhão e caíram para US$ 51 milhões.

Compartilhar: