Anderson diz que revanche é como final de Copa e nega mudança de estilo

Sobre a luta de julho, em si, ele diz que só faria uma coisa diferente. "Acho que manter os pés paralelos quando eu fui nocauteado. O resto eu faria tudo igual", disse Anderson.

No próximo sábado o Brasil vai parar para assistir a luta do Spider. Foto:Divulgação
No próximo sábado o Brasil vai parar para assistir a luta do Spider. Foto:Divulgação

A revanche pelo cinturão dos pesos médios contra Chris Weidman é como uma final de Copa do Mundo entre Brasil x Argentina. Foi dessa maneira que Anderson Silva definiu a forma como vê o combate marcado para o UFC 168, no próximo sábado. “Eu acredito que vou poder dar uma alegria legal para o povo brasileiro, um presente de Natal”, disse o ex-campeão.

Em entrevista ao Esporte Espetacular deste domingo, na TV Globo, o Spider disse que não vai mudar o estilo de luta após a derrota sofrida em julho deste ano para o americano, quando perdeu o título que trazia desde 2006.

Questionado se continuaria com o jeito provocador que acabou muito criticado na derrota para Weidman, Anderson foi enfático. “Claro, eu não posso mudar meu jeito de lutar, senão não vou estar feliz”.

As diferenças, segundo ele, estarão na própria personalidade. “Um Anderson com a cabeça no lugar, um Anderson diferente. Porque eu vou estar mais concentrado, tanto dentro quanto fora do octógono”, disse o lutador.

Anderson Silva disse também que o revés sofrido para Weidman serviu como amadurecimento. “Hoje em dia eu me conheço melhor, eu consigo em controlar melhor, precisou desse tempo todo que eu estou treinando, serviu para eu me tornar uma pessoa melhor, um atleta melhor. Essas coisas me ajudaram a amadurecer”, afirmou.

Sobre a luta de julho, em si, ele diz que só faria uma coisa diferente. “Acho que manter os pés paralelos quando eu fui nocauteado. O resto eu faria tudo igual”, disse Anderson.

Em entrevista ao site MMA Weekly, publicada também neste domingo, Anderson Silva disse que os erros da luta de julho ficaram para trás. “Foi uma sucessão de erros que é passado e a gente já consertou e agora é esperar o dia 28″. Para dar a volta por cima, Spider contou sua receita. “Treino, estando com as pessoas certas ao meu lado, observando como Deus foi grandioso comigo, solícito com o que ele me deu, que é fazer o que eu posso fazer com saúde e determinação”.

Ao longo dos últimos anos, Anderson Silva acumulou os principais recordes do UFC e, como consequência, criou uma aura de invencibilidade cabível ao status de melhor atleta de todos os tempos a pisar no octógono. No entanto, a surpreendente derrota por nocaute para o dez anos mais novo Chris Weidman manchou não apenas seu currículo quase que impecável, como também levantou a suspeita dos fãs sobre o real interesse do brasileiro

Compartilhar: