Anderson Silva diz que vários gays ainda não se revelaram no MMA

Anderson Silva fala sobre bullying e homossexualismo

Anderson Silva brinca e diz que um dia pode se revelar gay. Foto: Divulgação
Anderson Silva brinca e diz que um dia pode se revelar gay. Foto: Divulgação

Dentro e fora do octógono do UFC, Anderson Silva sempre lutador e homem confiante que enfrentou duros adversários e situações difíceis de racismo e insuficiência de recursos. Até bullying o ex-campeão peso médio sofreu por ter feito balé na infância a pedido da tia Edith.

“Poxa, que fase… No começo eu não gostava não. Foi um castigo. Nenhum amigo fazia. Eu fazendo balé? Hello? Não era muito legal. Meus amigos ficavam: “Ah, menininha, mocinha”. E ainda com a minha voz fina… Sofri muito bullying”, disse em entrevista à Revista Trip.

Apesar da implicância dos amigos de infância, Anderson passou a gostar da atividade e também foi matriculado em aulas de sapateado. Talvez por isso ele tenha desenvolvido excelente jogo de pernas. A movimentação do especialista em Muay Thai e boxe é uma das suas principais características e ele lembra que um famoso boxeador também fez balé.

Comecei a gostar, sim. Minha tia me botou também nas aulas de sapateado. Sou grato a ela porque me ajudou muito na luta. O [boxeador] Evander Holyfield fazia balé. Não tem muito a ver essa coisa, não. Você quer fazer balé, você faz balé. Quer fazer esgrima, faz esgrima. Você resolveu virar gay, vira gay, está tudo certo. Você respeitando o espaço das pessoas, elas respeitando teu espaço, está tudo certo”.

Logo após ter mencionado a palavra gay, Silva foi questionado se há muita discriminação contra homossexuais nas artes marciais mistas e disparou: Acho que não tem preconceito, mas tem homossexuais no MMA. Tem vários que não se revelaram ainda. Acho que hoje em dia é uma coisa tão boba não expressar o sentimento. Desde que você respeite o espaço das pessoas, respeite seus limites. Você tem que viver sua vida em paz e ninguém tem nada a ver com isso”.

The Spider não vê problema em treinar com gays desde que haja respeito e acha que a opção sexual não necessariamente implica assédio seuxal. O fato de o cara ser gay não quer dizer que ele vai te assediar. Ele pode ser gay, ter um relacionamento, pode conviver em grupo com caras que não são gays. Ele faz o que quiser da vida particular dele”, declarou.

Metrossexual assumido, o atleta de trinta e nove anos revela que seus companheiros de treinamento tiram muita onda na academia e revela que inclusive já duvidaram da sua masculunidade. Anderson Silva brinca e diz que um dia poderá descobrir que é gay.

Às vezes a galera acha que eu sou gay. Várias pessoas já me perguntaram se eu sou gay. Eu respondo: ‘Olha, que eu saiba não. Mas eu ainda sou novo, pode ser que daqui um tempo eu descubra que eu sou gay’ [risos]. Eu tomo muito cuidado com as minhas coisas, ponho todas as coisas na minha bolsa, coloco sabonete, passo um creme quando acaba o treino. A galera acha frescura. Mas é de cada um. Não quer dizer que você é mais macho ou menos macho, mais gay ou menos gay”, respondeu.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade