Anjo Augusto, bisneto do outro

Para Jarbas Martins, François Silvestre e Alex Nascimento   Eu nasci e cresci como um arbusto na indiferença transeunte das…

Para Jarbas Martins, François Silvestre e Alex Nascimento

 

Eu nasci e cresci como um arbusto

na indiferença transeunte das estradas

um rebento do amor das empregadas

na prenhez ectópica de um susto

sou bisneto daquele outro Augusto

como aponta meu nome de batismo

não morri por um puro preciosismo

da genética e do jogo do destino

fiquei velho sem deixar de ser menino

sou a antítese de todo silogismo

 

Meu sangue formou-se em nebulosas

transfusões de uma suruba etnia

sou a soma carmática da anarquia

dois pedaços de raças raivosas

atavismo de almas poderosas

duas faces de pútridas feridas

uma vida lembrando de outras vidas

dois odores de vômitos ideológicos

eu sou claro e escuro, sou ilógico

a resposta de perguntas indevidas.

 

Tenho forte teor de panclastite

misturado no mijo e na saliva

gamogênese por força radioativa

condutora voraz de cervicite

sem antídoto algum pra que evite

minha ardente e sexual pantofagia

provocada por toda hebefrenia

alomórfica, caliente e pueril

tenho orgasmo vandálico e varonil

e amor quiasmático sem valia.

 

Nunca quis o equilíbrio, sou tumulto

não semeio a paz, eu planto guerra

sou da roda o ferrugem que a emperra

sou sem alma um cadáver insepulto

não me apraz o cortejo, sim o insulto

organizo a inércia num tormento

faço graça onde pede-se um lamento

prego horror onde impera mansidão

rasgo bíblias e incendeio alcorão

sou liberto de todo sentimento.

 

Há espectros de carnes apodrecidas

flutuando em minha sala de estar

e por estar nesta sala um pop star

não se assombram ninfetas raparigas

voluptuosas, são todas ensandecidas

trepadeiras em flor adolescente

e os fantasmas querendo virar gente

me imploram a mediúnica paixão

mas, um ateu, prometeu, vate pagão

exorcizo uma gata em cama quente.

Há um odor de entranhas estelares

nos lençóis encardidos dessa moça

marcas de pus e de sangue, uma poça

entre anéis, algemas, cintos, colares

há vestígios de missas e altares

na fumaça de incenso de maconha

vídeo, foto, sexo, muita bronha

nas digitais encarnadas na vagina

que mistérios envolve essa menina

quando mata, morre ou quando sonha?

 

Quis um dia encarnar Gregory Peck

pra beijar muitas divas do cinema

peguei negra, loura e morena

e tracei luluzinhas de pileque

ganhei calos na mão pelas chacretes

nos domingos de mil maracanãs

de quadrinhos, de janes e tarzans

de um Brasil ainda no sossego

sem TV de faustões e descarregos

de amassos inocentes nos divãs.

 

Quando enfim destroçaram a inocência

da nação estuprada nas legendas

fui partido e espalhado pelas fendas

do tecido social da incoerência

me tornei minha própria experiência

na carência de uma vil ciclotimia

hoje sou um caráter em doze vias

meus apóstolos são eu no coletivo

quando mato é pra manter-me vivo

nos retalhos doutra genealogia

 

No varal genealógico há vidas secas

penduradas nas pontas retorcidas

há espíritos, almas desconhecidas

esticadas de uma cerca a outra cerca

se enxovalha uma vida que se perca

por tão vis interesses sub-humanos

se é de fome, se morre por engano

se é de guerra, se morre por morrer

não se diga que a morte é renascer

ser fantasma aqui e noutro plano.

 

A tristeza enjaulada nas manhãs

as manhãs deslizando nas marés

as marés carregando barnabés

barnabés enganando anciãs

anciãs debruçadas em maçãs

as maçãs embrulhadas em papéis

os papéis amassados nos convés

os convés desejados por irmãs

as irmãs enjauladas nas manhãs

e as manhãs começando pelos pés.

 

 

Álcool

Uma perguntinha óbvia e objetiva: A Polícia Militar, no âmbito estadual, e a Polícia Rodoviária, no federal, já estão planejando como serão as blitz na saída da Arena das Dunas durante a Copa? A FIFA liberou bebida alcoólica para os torcedores.

Em queda

A avaliação do governo Dilma Rousseff não para de cair desde as manifestações populares de junho do ano passado. Até então, 55% dos brasileiros aprovavam a presidente do PT. Os índices vieram despencando até chegarem nos 39% atuais.

Pesquisa

Os dados que mostram 61% dos brasileiros do outro lado da minoria que aprova Dilma são do Ibope e estão nas páginas dos principais jornais do país, nesse sábado. Na aferição anterior, os que consideravam o governo bom e ótimo representavam 43%.

Nonsense

O fiel retrato de uma esquerda que mais parece uma piada das antigas, perdida nos delírios de revoluções remotas, é que seus alvos de críticas são comediantes e personagens fictícios, como Danilo Gentili, Rafinha Bastos e Joselito Müller.

Amarra o mala aí

O Brasil atingiu a média de um bandido amarrado nas ruas por dia desde o caso do ladrão no bairro do Flamengo, no Rio, que a mídia engajada teima em chamar de “jovem ou adolescente”, uma vítima de cruéis rapazes de classe média.

Assaltante

O “jovenzinho” amarrado no Rio foi preso (não me peçam para usar o verbo apreendeu) ontem após praticar mais um assalto, sua especialidade. Da próxima vez, convém que os justiceiros reforcem as cordas com uma porção de Super Bonder no poste.

Ficção

A informação direta, instantânea e particular através do WhatsApp fez retornar às redes de amigos um texto dos tempos do Orkut. Uma suposta entrevista do bandido Marcola, líder do PCC, ao jornal O Globo. Foi apenas um texto de Arnaldo Jabor, de 2006.

Comunistas

A chapa dos comunistas na Ucrânia e Venezuela está esquentando. Ontem, o presidente ucraniano sumiu de Kiev. Espero que o mané venezuelano desapareça também. Como diz Chico Tripa: “Maduro, seu merda / logo o Miraflores / será teu La Moñeda”.

Intervenção já

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse ontem que “é inaceitável o uso de força militar contra civis na Venezuela”. Tá bom, mas então por que não age logo para a queda de Maduro? Afinal, além de ajudar o povo ainda tem um petroleozinho.

Plano Real

Os 20 anos do plano econômico que livrou o Brasil de uma inflação monstruosa (com índices da Venezuela atual) e lançou o país no rumo do desenvolvimento serão marcados no Senado, na terça-feira, com a presença do idealizador, o estadista FHC.

Compartilhar: