“Anne Sullivan e Helen Keller – A luta pela inclusão social” estreia em Natal

Espetáculo mostra drama de mulher surda e cega no Sul dos Estados Unidos; ingressos para a peça já estão à venda

Conr1

Conrado Carlos

Editor de Cultura

Há 28 anos na Europa, e com mais de 10 prêmios internacionais na bagagem, a Companhia Internacional de Teatro Arte Livre chega pela primeira vez à Natal no próximo dia 19 com o espetáculo “Anne Sullivan e Helen Keller – A luta pela inclusão social”. Sucesso de público e crítica, a peça é baseada numa história real, que aconteceu no sul dos Estados Unidos, no estado do Alabama. É a vida da célebre norte-americana Helen Keller, surda e cega que, de certa maneira, vive em um mundo de trevas e incompreensão, tratada doente pela família. Os ingressos já estão sendo vendidos na bilheteria do Teatro Riachuelo.

Com a chegada da professora Anne Sullivan, a vida de Helen e de sua família é transformada de forma significativa. Anne dedica toda a sua energia para criar mecanismos e conseguir se comunicar com Helen, ensinando-lhe boas maneiras e, sobretudo, possibilitando a comunicação entre as duas, permeada pela certeza do desenvolvimento da menina. O espetáculo ressalta a revolta que pode emergir de alguém que não compreende o mundo a sua volta e, além disso, enfrenta imensas dificuldades para se expressar, se comunicar, entender e ser entendido.

“Como muitos filmes e livros escritos sobre aquela região, essa história diz muito a todos nós brasileiros, principalmente quem vive no Nordeste, onde a escravidão atingiu patamares mais elevados de influência na sociedade e nas desgraças que até hoje estão aí. A história de Helen é muito bonita e atual, pois tratada do tema deficiência física e do preconceito que essas pessoas sofrem todos os dias, em todos os lugares, a começar pela própria casa”, diz Alberto Lima, advogado trabalhista fã de literatura norte-americana – sobretudo William Faulkner e John Dos Passos.

A Companhia Internacional de Teatro Arte Livre tem um elenco de primeira. Ela é composta por Roberto Cordovani (Prêmio de melhor ator de Londres, Madri, Santiago de Compostela e de melhor ator protagonista do Feseste 2013), Bruno Portela (Prêmio de melhor ator secundário do Feseste 2013), Nina Mancin (Prêmio de melhor atriz do Festival de Monólogos 2000), Gabriela Teles (Prêmio de melhor atriz do Festival Águas de Março 2013) e Eduardo Fonseca, chega a Natal pela primeira vez para apresentar o espetáculo teatral Anne Sullivan e Helen Keller – A luta pela inclusão social, que tem emocionado o público e a crítica, desde a sua estreia nacional em São Paulo.

A adaptação teatral e a transposição cênica, com direito a Interpretação em Libras (Língua Brasileira de Sinais) ao vivo e programas de mão (versão tinta e braille) foi feita por Roberto Cordovani, inspirado em apontamentos dos cadernos de Anne Sullivan, nas entrevistas com Polly Thompson, Alexander Graham Bell, nas conversas com as professoras e amigas, Neusa Bassetto, Nice Saraiva e Dr. Geraldo Sandoval de Andrade e nos relatos de Helen Keller supervisionados pelo jornalista John Macy (marido de Anne Sullivan). “A luta pelos direitos e por aceitação é uma condição humana que sempre existiu, mas que nos últimos anos ganhou força na mídia e na própria sociedade”, conclui Alberto.

Compartilhar: