Ao sabor do vento – Walter Gomes

Lemes avariados, os barcos nos quais navegam as três principais candidaturas à Presidência da República estão à deriva. Inexiste dúvida,…

Lemes avariados, os barcos nos quais navegam as três principais candidaturas à Presidência da República estão à deriva. Inexiste dúvida, porém: um reparo técnico ou de improviso colocará dois deles na rota programada.

Na soma das milhas náuticas, os de Marina Silva e Dilma Rousseff deixaram atrás a embarcação de Aécio Neves. As duas mulheres lideram, mas fraquejam na opção de roteiro. Falam muito e explicam pouco. Mesmo a senhora Rousseff, conhecedora do trajeto, joga a vela para o lado errado. A senhora Silva titubeia nas tentativas de mostrar competência. A opção de hoje é a véspera da contradição.

Cai – e rapidamente – o número dos que ainda acreditam na recuperação do veleiro conduzido pelo tucano. Entretanto, a indecisão das duas concorrentes pode provocar um choque dos barcos que capitaneiam. E, de repente, um vento a favor coloca, de novo, o senhor Neves na regata cívica.

Marca da dúvida

Um cenário eleitoral com remendos.

Assim está a movimentação para governador do Distrito Federal.

O líder das pesquisas, José Roberto Arruda (PR), incluído na lista de fichas sujas pelo Tribunal de Justiça do DF e confirmado pelo STJ, recorreu ao Supremo.

Por isso, ampliam-se as articulações em busca de um substituto para Arruda, ex-ocupante do Palácio do Buriti. A expectativa é de ser excluído da disputa. A Procuradoria-Geral da República pediu à Corte Eleitoral a anulação do registro da candidatura dele.

Dois nomes são examinados, ambos da mesma sigla, para a substituição do postulante ameaçado (*):

1. Jofran Frejat, atual candidato a vice com extenso currículo político;

2. Flávia Peres (foto), mulher de Arruda. Ela não tem experiência, mas é bem articulada.

Há uma sugestão em exame: Frejat, titular, e Peres como complemento.

(*) Dia 15 é o marco temporal para a mudança.

Caminho do voto

Resultados de duas sondagens de opinião.

A partir de amanhã, e a qualquer momento, serão divulgados índices de dois institutos referentes ao embate pelo Palácio do Planalto.

—-

O Ibope promete para esta quarta-feira o anúncio dos números computados para o poder central.

Hoje, informa a tendência para os executivos de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Já o Datafolha não divulga a data certa. A empresa pesquisa, desde ontem, a inclinação dos eleitores a respeito da sucessão de Dilma Rousseff. Também para governador e os representantes no Senado de sete colégios eleitorais.

Na lista, o Distrito Federal e seis estados – São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Ceará.

– Terça-feira (9), Luiz Alberto Gurgel de Faria recebe a toga de ministro do Superior Tribunal de Justiça. Mestre e Doutor em Direito Público, o pernambucano do Recife vai ocupar a vaga de Eliane Calmon, que se aposentou para concorrer (sem chance) ao Senado pela Bahia.

– No Pará, o governador (recandidato) Simão Jatene (PSDB) é pressionado pelo desafiante do PMDB, Helder Barbalho. Estão empatados na casa dos 40%.

– Deve ser mantida a taxa básica de juros – 11% ao ano – na reunião do Copom iniciada hoje. A confirmação será anunciada nesta quarta-feira. Só após a eleição, possivelmente em novembro, o Comitê de Política Monetária do Banco Central decide se revê o preço do dinheiro.

– Mais um problema na agenda industrial da República Surrealista dos Trópicos. Sem caixa para cobrir importações, empresas da Argentina atrasam o pagamento aos fornecedores brasileiros de veículos e autopeças. O calote ultrapassa US$ 1,6 bilhão.

– Para refletir: “Morro antes de me aposentar” (Al Pacino, ator estadunidense).

Compartilhar:
    Publicidade