Aonde está o avião?

Um mistério ainda insolúvel envolve o avião da Malaysa Airlines, voo MH370, que saiu de Kuala Lumpur para Pequim e…

Um mistério ainda insolúvel envolve o avião da Malaysa Airlines, voo MH370, que saiu de Kuala Lumpur para Pequim e desapareceu como por encanto, inclusive do alcance dos radares, ao sul do Vietnam, fazendo último contato a 250 km de Kota Kinabalu.

Várias equipes de especialistas multinacionais estão buscando vestígios do Boeing 777 e nenhuma tecnologia avançada conseguiu até agora explicar o sumiço de uma aeronave tão grande. Sequer há rastros de catástrofe nas regiões do percurso do voo malaio.

Enquanto os fatalistas falam em ataque terrorista, os profissionais de resgate descartam o fato e já declaram estarem diante de um mistério sem precedentes na história da aviação. Uma bruma de paranormalidade também envolve o caso e foi levada a sério.

Jornais e sites da Malásia e China deram espaços para teorias paranormais, o que acabou contaminando a população. Há teses as mais estranhas possíveis, como por exemplo a do avião ter penetrado num portal interdimensional e saído do nosso tempo.

A coisa chegou a um ponto que as autoridades decidiram considerar também a via da ficção científica nas investigações e mandaram buscar Bomoh Ibrahim Mat Zain, um famoso psíquico do país que começou a realizar seus rituais para desvendar o caso.

Bomoh chegou ao aeroporto de Kuala Lumpur e desembarcou pela ala VIP das autoridades do governo, alegando ser convidado de um dos maiores líderes da Malásia. Na primeira meditação, disse que o avião continua no ar, só não sabe em que local.

A presença do parapsicólogo fazendo rituais no aeroporto agitou a oposição no Parlamento, onde o líder Anwar Ibrahim pediu investigação para saber quem contratou o místico para fazer “palhaçadas” no aeroporto a partir de uma tragédia prenunciada.

Mas, a tese de que o avião continua voando, nalgum espaço fora da nossa dimensão, não é só do psíquico malaio. O próprio porta-voz da Malaysia Airlines, Ahmad Jauhari Yahya, diz não descartar a possibilidade de uma abdução extraterreste da aeronave.

O famoso mistério do Triângulo das Bermudas voltou à cena do dia na Malásia e é citado como probabilidade. O mito já muito abordado em livros fala de campos magnéticos e energéticos que sugam aviões e navios para um outro plano físico.

O fato de alguns telefones dos passageiros continuarem tocando, ou dando um sinal que aponta isso, está levando muitas pessoas, principalmente familiares, a acreditarem que seus parentes ainda estão voando, mas num limbo que separa a Terra de outros mundos.

A filmografia está repleta de histórias com aviões que atravessam um vórtice de tempo e espaço e aparecem em outros lugares, noutros planetas ou mesmo num outro tempo, como o passado e o futuro na própria Terra. Quem lembra da série Terra de Gigantes?

Um voo com destino a Londres aterrissa numa cidade que na verdade é um planeta habitado por humanos do tamanho do Cristo Redentor (sem o morro, claro). No primeiro episódio, há semelhanças com uma trama do seriado Além da Imaginação.

Em “A Odisseia do Voo 33″, da segunda temporada, o gênio Rod Serling exibe a aventura de um avião que segue para Nova York, entra de repente numa zona de turbulência que acelera sua velocidade fazendo-o passar por uma fenda temporal.

Primeiramente, a tripulação percebe a área geográfica de Nova York embaixo, só que não há prédios, nem casas, apenas selva e dinossauros pastando. Voltam à área turbulenta e quando, enfim, avistam a cidade, estão nos anos 1920 e não em 1960.

A ficção do gênero mais recente é a do filme “Fenda no Tempo”, produzido em 1995 a partir de um livro de Stephen King. Num voo de Los Angeles para Boston, os passageiros somem e apenas os que dormiam ficam no avião, buscando pouso seguro.

Em cada aeroporto que chegam, o mistério aumenta com a inexistência total de vida, nem mesmo um fósforo pode ser aceso. As neuroses particulares se misturam à trama de King dando uma boa dosagem de adrenalina para os amantes da ficção científica.

No entanto, voltando ao avião perdido da Malásia, há também as teses religiosas do arrebatamento. Já falam em Apocalipse e que mais pessoas sumirão num piscar de olhos, como Amélia Earhart, desaparecida em 1937 no Pacífico, com avião e tudo. (AM)

 

Improbidade

O caso do prédio adquirido pelo MP por R$ 800 mil e logo abandonado por faltar 3 garagens para os automóveis dos promotores é uma vergonha para uma instituição que cobra moralidade de todo mundo. Para o advogado Thiago Cortez, é improbidade.

Abandono

O caso do elefante podre do MP foi alvo de grande matéria do repórter Ciro Marques para o Portal No Ar. Há uma investigação do colégio de procuradores que foi iniciada e ainda não concluída. O dinheiro torrado no prédio precisa ser devolvido ao erário.

O prefeito

Todo mundo visitando e conversando com Carlos Eduardo, querendo o apoio da sua credibilidade. PT e PMDB se acusam mutuamente e estão com a razão, pois ambos tentaram derrotá-lo na campanha de 2012. A chapa ideal do prefeito deveria ser outra.

Chapa ideal

Se há pré-candidatos majoritários com direito ao apoio de Carlos Eduardo estes são Robinson Faria (PSD) e Wilma de Faria (PSB). O primeiro o acompanhou desde o primeiro momento da luta, a segunda foi sua companheira na chapa vitoriosa.

Definida

Acabou o puxa-encolhe mesmo. O candidato do PMDB ao governo é realmente Henrique Alves, com Wilma de Faria para o Senado e João Maia de vice. Há poucos nós a amarrar e a chapa será lançada no final do mês, com pompa e circunstância.

Fábrica de clones

Processo de luta, fazer uma colocação, levantar uma questão, com certeza, esse sindicato é forte, inclusive quero esclarecer. Os termos aí são os chavões da professora Fátima Cardoso, do Sinte, exatamente os mesmos que usa a deputada Fátima Bezerra.

Jornalismo

Na última quarta-feira, o STF empossou dois analistas judiciários com graduação em comunicação social, ambos aprovados em concurso que exigiu o diploma universitário. Mas, não foi o mesmo STF que aboliu a obrigatoriedade do canudo acadêmico?

Jornalismo II

A respeito do caso, a jornalista carioca Jacqueline Patrocínio escreveu no portal Comunique-se a reportagem “A polêmica relação do STF com a obrigatoriedade do diploma de jornalismo”. Material para estimular o debate um tanto histérico até aqui.

Música

Camila Masiso lançará no próximo 16 de abril, no Teatro Riachuelo, seu segundo álbum, “Patuá”, com ritmos afro-brasileiros compostos com parceiros locais. Com ela no palco, Diogo Guanabara, Henrique Pacheco, Rogério Pitomba e Kleber Moreira.

A crise Neymar

Contrato turbulento, namoro rompido, ausência de gols, futebol raquítico. Tudo isso junto lançou Neymar numa crise complicada dentro do Barcelona. Para piorar, se diz humilhado pelo técnico e recebe de troco uma pesquisa com a torcida contra ele.

Compartilhar:
    Publicidade