Apaixonadas por padres pedem que papa torne celibato opcional

Vinte e seis mulheres que dizem amar homens da igreja católica escreveram para o pontífice, descrevendo o "sofrimento devastador" que sentem

Nas últimas décadas, o Vaticano vem sofrendo pressão para tornar o celibato opcional e permitir que os padres se casem. Foto: Diuvlgação
Nas últimas décadas, o Vaticano vem sofrendo pressão para tornar o celibato opcional e permitir que os padres se casem. Foto: Diuvlgação

Vinte e seis mulheres que dizem estar apaixonadas por padres da Igreja Católica escreveram ao papa Francisco pedindo que o pontífice torne o celibato opcional.

As mulheres, que vivem na Itália, descreveram o “sofrimento devastador” causado pela proibição de que os padres façam sexo e se casem.

“Amamos estes homens e eles nos amam”, afirmaram na carta, publicada no site Vatican Insider.

“Com humildade, colocamos aos seus pés o nosso sofrimento para que algo possa mudar, não somente para nós, mas para o bem de toda a Igreja”, acrescentaram na mensagem, assinada com seus nomes de batismo e uma inicial dos sobrenomes, mas com vários números de telefone.

O celibato dos padres da Igreja Católica, embora não seja um dogma inalterável, é uma tradição de mais de 1.000 anos.

Nas últimas décadas, o Vaticano vem sofrendo pressão para tornar o celibato opcional e permitir que os padres se casem. Os defensores da causa afirmam que isso suavizaria a carência aguda de sacerdotes em muitas áreas.

As mulheres pediram ao papa que “abençoe nosso amor”, acrescentando que poucas pessoas podem entender o “sofrimento devastador vivido por uma mulher que tem um grande amor por um padre”.

Compartilhar:
    Publicidade