Apareça no Mineirão, companheiro Lula – Alex Medeiros

Por Augusto Nunes Penúltimo a falar na convenção nacional do PT, Lula reservou um trecho da discurseira para fantasiar-se de…

Por Augusto Nunes

Penúltimo a falar na convenção nacional do PT, Lula reservou um trecho da discurseira para fantasiar-se de doutor honoris causa em futebol, Copa do Mundo e derivados.

Zanzando pelo palco feito animador de auditório, o criador voltou-se para a criatura e deu por cumpridas todas as promessas que a dupla esqueceu no palanque: “Eu acho que o que o país tinha que mostrar já mostrou, ou seja, os estádios estão todos inaugurados, de melhor qualidade pra fazer qualquer inglês morrer de inveja”, começou o Gugu Liberato de picadeiro.

Lula deve achar que Wembley é marca de uísque americano. Nunca deu as caras num dos muitos estádios cinco estrelas da Grã-Bretanha.

Mas faz de conta que os ingleses sonham com governantes que enterram em arenas superfaturadas (e condenadas a transformar-se em elefantes brancos) os bilhões de dólares que poderiam tirar da gaveta as “obras de mobilidade” urbana prometidas desde 2007.

Se alguém fizesse por lá o que o padrinho e a afilhada fizeram aqui, perderia o emprego. E seria transferido do gabinete para um tribunal.

“É a primeira vez, presidenta Dilma, é a primeira vez que um time perde por excesso de qualidade do nosso estádio”, continuou a aula magna de vigarice.

“A Inglaterra não estava habituada a jogar num campo daquela qualidade, como ela jogou aqui no país”. Lula descobriu que os inventores do futebol só ganham jogos em campos de várzea.

E achou excelente a situação dos gramados que só viu na TV porque o medo de vaia o aconselhou a acompanhar a Copa sem sair de casa.

Há poucas horas, na entrevista ao Jornal do SBT, pareceu bem menos seguro: “Possivelmente a gente tenha culpa”, ressalvou no meio do falatório sobre a goleada sonora sofrida por Dilma Rousseff no Itaquerão.

Por que o ex-presidente não aproveita o jogo do Brasil contra o Chile, neste sábado, para livrar-se de dúvidas. Basta interromper a prisão domiciliar voluntária, trocar a sala do apartamento em São Bernardo pela arena de Belo Horizonte e ouvir o que pensa a multidão.

Coragem, companheiro Lula. Apareça no Mineirão. (AN, no portal da Veja)

Pachecada

O cântico à capela iniciado em Fortaleza na Copa das Confederações e continuado em todos os estádios que joga o Brasil, fez a maioria do povo brasileiro decorar para sempre o Hino Nacional pela metade. O que já havia começado pelas federações estaduais.

Ufanismo

É preciso avisar aos blogueiros e jornalistas lulo-petistas que jamais houve, em 84 anos de história, uma Copa do Mundo fracassada. São vinte edições de sucesso, graças à magia do mais espetacular esporte do planeta. Não existe copa fracassada, existe país.

Filme biográfico

O cineasta espanhol Alex de la Iglesia divulgou ontem o trailer oficial do filme em que conta a vida e a carreira do craque Lionel Messi, a partir de argumentos do ex-jogador Jorge Valdano, bicampeão pela Argentina em 1986. O filme estréia no próximo dia 2.

Estréia mundial

Aproveitando o advento da Copa do Mundo, o filme de Messi será lançado no Rio de Janeiro. A obra biográfica tem depoimentos de personalidades do futebol, como Cruijff, Iniesta, Mascherano, Piqué, o técnico Alejandro Sabella e o próprio Jorge Valdano.

Rigor

Ao saber da condenação de Luís Suarez imposta pela FIFA, o zagueiro Lugano emitiu opinião: “Os que mandam, mandam, e os fortes, são os fortes… Não nos julgam com a mesma lei”. O capitão é comparado na Celeste ao eterno ídolo Obdulio Varela.

Torcida

A imprensa britânica está emulando os torcedores da seleção da Inglaterra que ainda ficaram no Brasil para assistir o resto da Copa que adotem a Colômbia como segundo time. Os ingleses sabem como ninguém como fazer barulho dentro dos estádios.

Indiferença

É impressionante a indiferença do diário The New York Times com o futebol. Nem mesmo após um jogo da seleção dos EUA, onde até Obama assistiu, o jornal não destaca nada em sua capa dessa sexta-feira. Veja o fac-símile em alexmedeiros.com.br.

Empate

O resultado da pesquisa do instituto paulista GPP, dando um empate técnico entre Henrique Alves (28%) e Robinson Faria (26,9%) animou a militância da coligação PSD-PT. Os números se assemelham com uma aferição interna feita uma semana antes.

Ibope

Os seguidores de Henrique Alves e Wilma de Faria esperavam desde ontem com ansiedade o resultado da pesquisa Ibope, divulgada hoje na 96 FM. E torciam para que os índices dos dois contendores fossem parecidos com os divulgados pela Consult.

Espontânea

Continua valendo o aviso: a população está envolvida na Copa e mais do que nunca rejeita a política em todo o país. Os índices da pesquisa espontânea no RN do Ibope são claros. Henrique Alves (PMDB) com 5% e Robinson Faria (PSD) com 2%.

Aparelhamento

O PT está utilizando a Federação Única dos Petroleiros para enviar ataques ao candidato Aécio Neves e outras personalidades do PSDB, como FHC, através das contas pessoais dos funcionários da Petrobras. Transformaram o petróleo em lama panfletária.

Contra a censura

A arte do caricaturista venezuelano Edo, exibindo um monstro vermelho com a força de King Kong tentando conter as diferentes plataformas de comunicação no país da ditadura bolivariana. Serve também como alerta aos ataques do PT à imprensa e como crítica à Justiça de São Paulo que censurou a Playboy a pedido do jogador Neymar.

Compartilhar: