Apesar de atrasada, secretário garante Mor Gouveia para maio

Operários da obra paralisaram atividades por 24 horas nesta terça

Obras-de-mobilidade-urbana-da-Av-Mor-Gouveia-HD-2

Depois de 24 horas de paralisação, a construção do primeiro Binário de Natal, referente ao Lote 1 das obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de Futebol, envolvendo as avenidas Capitão-Mor Gouveia e Jerônimo Câmara, foram retomadas na manhã desta quarta-feira (26). O projeto já está atrasado, bem abaixo da previsão inicial do cronograma. Nesta terça-feira (25), a obra sofreu mais uma interrupção. Os trabalhadores da empresa EIT Construções LTDA., responsável pela readequação do sistema viário e execução do corredor de ônibus da Avenida Capitão-Mor Gouveia, paralisaram as atividades cobrando alteração na forma do pagamento dos salários. Este será o principal corredor que ligará a zona Sul da cidade até o aeroporto internacional de São Gonçalo do Amarante, e está ameaçado de não ficar pronto até o prazo previsto para conclusão, que é o dia 31 de maio.

No mês de janeiro, a obra passou pela primeira interrupção em função do atraso no fornecedor de material, como a tubulação de drenagem e esgoto. O atraso deixou um trecho da obra parada por mais de 30 dias. O secretário Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Tomaz Neto, informou que assim que soube da paralisação de ontem foi até o local e constatou o impasse. “A empresa nos informou que a todos os funcionários de todos os canteiros de obras paga mensalmente e os operários, juntamente com o Sindicato, querem que os salários sejam pagos quinzenalmente. Mas resolvemos a situação e hoje eles já voltaram ao trabalho”, afirmou.

Tomaz Neto disse que foi surpreendido com a paralisação das obras de readequação viária e informou que a prefeitura já havia feito gestão à direção da EIT, a fim de que o ritmo fosse acelerado. “As obras evoluíram bem em fevereiro, isso efetivamente ocorreu, apesar de ser um mês mais curto. Melhorou o desempenho, mas ainda há a necessidade de aumentar mais ainda”. Segundo o secretário, já foram concluídas 38% das obras, mas o cronograma continua atrasado, porque a previsão era de que estivesse 45% executadas até o fim deste mês.

“Conversamos com a diretoria da empresa para que nos oferecesse um ritmo melhor. Estamos fiscalizando de perto e quando for necessário uma cobrança maior, assim faremos. Garantimos que toda a Mor Gouveia ficará pronta até o final do mês de maio, mas a avenida Jerônimo Câmara, possivelmente, não conseguiremos entregar a tempo”, afirmou o secretário Tomaz Neto. A obra de drenagem da Avenida Jerônimo Câmara está atrasada, pois quatro poços profundos estão com fuga de material e está dificultando o andamento das obras.

O secretário informou que a prefeitura vai reivindicar que a empresa abra três turnos de trabalho com jornada de 24 horas, a fim de que a execução do projeto seja concluído em maio, antes do início da Copa do Mundo. A readequação da avenida Capitão-Mor Gouveia entre a avenida Prudente de Morais e o Km 6, na Zona Oeste de Natal, começaram em 24 de abril de 2012 e tem entrega prevista para 31 de maio deste ano, a um custo previsto de R$ 108,24 milhões.

O secretário Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura de Natal explicou que a obra já concluiu a construção de um quilômetro de pista de concreto armado na faixa esquerda a partir da avenida Prudente de Morais, na direção do Tribunal Regional do Trabalho (à altura do Ceasa) até a BR-226. Pela margem direita, já está feito o concreto da garagem da empresa de Transportes Guanabara em diante, no sentido da BR-226. “A faixa próxima à Ceasa não tem nada feito, é o trecho mais atrasado”, disse Tomaz Neto.

As obras referentes ao Lote 1, executadas pela EIT, estão sendo realizadas parcialmente. O secretário afirma que os recursos estão assegurados, mas que apenas o binário ficará pronto antes do Mundial. Nas avenidas Capitão-Mor Gouveia e Jerônimo Câmara estão sendo feitas intervenções de esgoto, drenagem, abastecimento de água, rede de energia e capiação (telefonia). Além disso, a via terá uma faixa semi-exclusiva de ônibus, com pavimento com 30 centímetros de espessura, com duração prevista para 50 anos de duração (diferente do pavimento utilizado na avenida Bernardo Vieira).

As intervenções na Avenida Felizardo Moura e na BR-226, que também fazem parte do Lote 1, só deverão ser iniciadas após o mundial, haja vista que sequer o projeto executivo foi iniciado. “A licitação para esse novo trecho já foi concluída, a empresa já foi contratada, mas não iniciaremos agora para evitar os transtornos no caminho para o novo aeroporto. Quando assumimos, esse trecho era o mais complicado, pois previa 525 desapropriações e muitas ações judiciais contra a obra que estava tornando a obra inviável. Com isso, foi necessário um novo projeto, para minimizar as desapropriações”, destacou o titular da Semopi.

Compartilhar:
    Publicidade