Apesar de ter sido superado, Orkut ainda atrai público cativo

Mas se engana quem acha que no Orkut só existem perfis fantasmas, robôs de spam e comunidades às mosca

Segundo a comScore, mais de 6 milhões de pessoas entraram no Orkut em dezembro do ano passado. Foto: Divulgação
Segundo a comScore, mais de 6 milhões de pessoas entraram no Orkut em dezembro do ano passado. Foto: Divulgação

Abandonado pelo próprio criador, infestado por vírus e deixado de lado pela maioria dos visitantes.

Assim está o Orkut hoje, rede social do Google, que já foi a maior do Brasil e hoje amarga um quinto lugar e queda livre no número de visitantes, mês a mês, desde 2011.

Mas se engana quem acha que no Orkut só existem perfis fantasmas, robôs de spam e comunidades às moscas.

Segundo a comScore, mais de 6 milhões de pessoas entraram no Orkut em dezembro do ano passado.

Embora pareça pouco se comparado aos tempos áureos da plataforma, que chegou a ter como membros quase metade da população brasileira com internet (mais de 40 milhões de cadastrados), ainda é um número que não pode ser desprezado.

Sob as ruínas da casa azul e rosa ainda há intensa atividade em comunidades de assuntos específicos, como futebol e séries de TV.

“O Orkut ficou mais legal ainda depois do Facebook. Morreram comunidades inúteis, como ‘Eu odeio a segunda-feira’, mas fóruns sobre discussões temáticas permaneceram, com a vantagem de não estarem mais lotados”, observa o jornalista Aluizio Hamann, 28, frequentador das comunidades “Futebol Alternativo” (7.339 membros) e “São Paulo FC Tricolor” (1.140.772 membros), ambas com dezenas de tópicos com novas postagens diárias.

“Não tem mudanças de design nem anúncios de novas funções. Ficou o ano passado inteiro do mesmo jeito, dá uma tranquilidade, afinal o foco são mesmo as comunidades”, diz Carlos Stecher, 25, publicitário, que gosta das comunidades de séries de TV.

Hoje, o usuário que faz login no Orkut recebe uma mensagem do próprio Google oferecendo um “upgrade de perfil”. Quem aceita tem todas as fotos e as informações sequestradas para o Google+.

Questionado sobre algum possível plano de desativar o serviço, o Google respondeu à Folha que “o Orkut foi a porta de entrada à internet para milhões de usuários. A rede ainda é uma plataforma social para muitas pessoas”.

TRHRHHRT

Além do Orkut, o Second Life é outra rede que saiu dos holofotes da mídia, mas que continua com usuários fiéis que curtem uma praia virtual, paquerar outros avatares, dançar e andar de bicicleta.

Até o jurássico IRC, serviço de comunicação muito popular na década de 1990, ainda é utilizado para troca de arquivos por ser muito leve e prático.

43TY43T

 

Fonte: Folha de SP

Compartilhar:
    Publicidade