Após abandono de 42 bebês, doação de recém-nascidos indesejados é incentivada

No último mês, três crianças foram achadas em terrenos baldios da capital

Campanha deve orientar mães sobre doação de bebês indesejados. Foto:Divulgação
Campanha deve orientar mães sobre doação de bebês indesejados. Foto:Divulgação

O TJ-AM (Tribunal de Justiça do Amazonas) organiza uma campanha para orientar gestantes e mães sobre o processo de doação de recém-nascidos indesejados. A medida foi tomada após o registro do abandono de 42 bebês nos últimos meses em Manaus, sendo que três em terreno baldio.

Para a assistente social Heloísa Guimarães, gerente de Serviço Social do Juizado da Infância e da Juventude Cível, falta informação para as mães.

“A maioria das mulheres que passa por uma gestação indesejada não precisa ficar arquitetando sobre como se livrar do filho. Tem mãe que deixa a criança na maternidade, na frente da casa de um estranho, na lixeira, ou seja, dão uma destinação que caracteriza crime. O que ela precisa ter em mente é que abandono é crime, a doação não”.

A campanha está prevista para começar em junho deste ano. As atividades incluirão palestras em maternidades e escolas públicas, que já estão sendo agendadas. A intenção é disseminar que a melhor maneira da mãe evitar problemas, não apenas para ela, mas principalmente para a própria criança, é indicar, mesmo durante a gravidez, que deseja doar o filho após o nascimento.

“Nós vamos atender essa mãe em todos os momentos, o processo é rápido e fácil. Se for realmente o projeto dela não ter filhos, nós vamos acolher essa mãe e mostrar o caminho legal e não do crime de abandono”.

As mães que não desejam ficar com os filhos podem procurar o Juizado da Infância e Juventude de qualquer cidade.

Fonte:R7

Compartilhar:
    Publicidade