Após assembleia, Médicos aprovam indicativo de greve na capital potiguar

Melhor condição de trabalho continua sendo uma das principais reivindicações da categoria que deseja equipamentos e insumos básicos nas unidades de saúde

imageEm assembleia realizada na noite de ontem (17), no Sindicado dos Médicos do RN, os profissionais do município votaram a favor do indicativo de greve. A decisão foi motivada pela estagnação das negociações entre a Secretaria Municipal de Saúde e a categoria.

Na próxima segunda-feira (24) uma nova assembleia será realizada, às 19h, no Sinmed, para definir os rumos da possível greve. Para os médicos, o ofício enviado pela SMS com as propostas para a continuidade da negociação não representa avanço ou ganhos reais. Dentre as reivindicações negadas estão o reajuste das gratificações e o aumento do valor da insalubridade de 10% para 20%, sendo encaminhados para a SEGELM apenas os processos dos servidores que já tinham parecer favorável.

Melhor condição de trabalho continua sendo uma das principais reivindicações da categoria que deseja equipamentos e insumos básicos nas unidades de saúde. Relatos de desabastecimento e exigência por quantidade de atendimentos, em detrimento a qualidade, foram comuns durante a assembleia. O ponto eletrônico também tem sido contestado pela categoria, que exige o salário adequado à carga horária.

De acordo com o presidente do Sinmed, Geraldo Ferreira, o prefeito Carlos Eduardo se comprometeu a confirmar, neste final de semana, horário para uma reunião na tarde da próxima segunda-feira para discutir as reivindicações da classe. Os resultados da conversa serão apresentados em assembleia com os médicos.

 

Médicos do Estado

Os médicos do estado também se reuniram em assembleia na noite de ontem. Geraldo Ferreira apresentou um resumo da audiência ocorrida à tarde com o Secretário de Estado da Saúde Pública, Luiz Roberto. Segundo o apresentado a Governadora Rosalba Ciarlini está de acordo com a tabela de escalonamento do piso Fenam para os médicos do RN e o aumento anual até 2018.

No entanto, o reajuste de 20% para fevereiro de 2014, acordado ano passado com a SESAP ainda não ocorreu. Alguns pontos tratados na audiência causaram descontentamento dos médicos, como por exemplo, a sugestão de exclusão dos aposentados deste acordo. A nova proposta do governo deverá ser oficialmente apresentada ao Sinmed amanhã e discutida em assembleia dos médicos na próxima segunda-feira (24).

Compartilhar: