Após baixa procura, empresas de intercâmbio esperam mercado aquecido

Mercado de intercâmbio e educação internacional está em crescimento no Brasil

Antonio Marcos Dantas, empresário: “País parou em função da Copa do Mundo”. Foto: José Aldenir
Antonio Marcos Dantas, empresário: “País parou em função da Copa do Mundo”. Foto: José Aldenir

Estudar no exterior é uma experiência que muitos jovens querem ter no currículo. Além de se familiarizar com outra língua mais rapidamente, a vivência com outra cultura também está incluída no pacote. Durante todo o ano centenas de jovens em diversos níveis de escolaridade procuram empresas de intercâmbio para conseguirem uma oportunidade de estudar no exterior ou passarem o período de férias de uma forma diferente.

De acordo com dados de especialistas, o mercado de intercâmbio e educação internacional está em crescimento no Brasil, principalmente pela facilidade de compra dos pacotes no exterior – que está atraindo cada vez mais pessoas das classes C e D. Neste ano, o mercado sofreu uma queda na procura dos pacotes em virtude da Copa do Mundo, mas a tendência é que as empresas voltem a sentir o aquecimento nas procuras.

Segundo Antônio Marcos Dantas, empresário do ramo, o período que antecedeu a Copa do Mundo, e durante a realização do mundial, as vendas foram ruins. “Mas estamos otimistas. As pessoas ficaram ‘hipnotizadas’ com a Copa e o país parou em função disso. Parou em quase todos os setores. As pessoas fugiram do foco e se voltaram exclusivamente para o evento. Entretanto, as coisas já começam a melhorar”, disse.

Antônio Marcos considera que o período de baixa provocado pela Copa do Mundo não irá influenciar no balanço final do ano. “Estamos confiantes em superar os números do ano passado. Os pais e os estudantes estão de olho nas oportunidades, principalmente no que diz respeito ao High School. Para fazer o High School em outro país, é preciso que jovem tenha entre 14 e 17 anos, por exemplo. Existe um tempo determinado para isso. Por isso as pessoas que perderam esse período de realização da Copa estão começando a nos procurar”, destacou.

Fazer um intercâmbio, independente da época, é uma experiência válida. O mais procurado quando se está no segundo grau é o High School; quando se está na faculdade, é o curso de idiomas. São propostas diferentes. O High School é um programa acadêmico (exige que o estudante já saiba o idioma do país escolhido, pois vai estudar numa escola de ensino médio, pegando matérias regulares ). Já o curso de idiomas é somente um curso de línguas, não acadêmico.

Emanuelle Moura, gerente de uma empresa de intercâmbio em Natal, considera que as procuras pelo High School e o curso de idiomas irá aumentar neste período que se iniciam, com vistas paras as viagens em dezembro deste ano e janeiro de 2015.

“Não sentimos um impacto tão ruim no período da Copa porque os meses de junho e julho, normalmente, são momentos de viagem, os quais acontecem no começo, meio e final do ano. Por isso, gradativamente a procura por viagens é menor”, justificou. “Agora, de agosto para frente, as procuras aumentam para viagens no final do ano e em janeiro”, disse.

Emanuelle ainda destaca que quem fechar pacotes de intercâmbio nos próximos meses tem o benefício de pagar um preço mais em conta pelo serviço. “Quem fecha um negócio agora, para viajar em dezembro ou janeiro, acaba pagando mais barato por estar aproveitando a tabela de preços de 2014″, afirmou.

Compartilhar:
    Publicidade