Após boato de jornal, jogadores da Inglaterra negam ser gays

Famoso na Inglaterra por um caso de traição à ex-mulher Cheryl, o experiente Ashley Cole rapidamente se manifestou

Com fama de "mulherengo" na Inglaterra, Ashley Cole afirmou que não é o suposto jogador gay da seleção. Foto: Getty Images
Com fama de “mulherengo” na Inglaterra, Ashley Cole afirmou que não é o suposto jogador gay da seleção. Foto: Getty Images

Após o anúncio do jornal britânico The Sun de que um jogador da atual seleção inglesa vai se declarar homossexual em uma entrevista exclusiva no próximo domingo, dois atletas recentemente convocados pelo técnico Roy Hodgson “descartaram a si mesmos” pelo Twitter. Segundo os laterais Ashley Cole, do Chelsea, e Luke Shaw, do Southampton, nenhum dos dois é o suposto gay da seleção.

Famoso na Inglaterra por um caso de traição à ex-mulher Cheryl, o experiente Ashley Cole rapidamente se manifestou. “Desculpe por desapontá-los, mas sou estritamente ‘somente garotas'”, escreveu o lateral esquerdo.

Outro jogador da mesma posição, o jovem Luke Shaw, do Southampton, também foi rápido para tirar seu nome das especulações. O atleta de 18 anos, que fez sua estreia pela seleção no amistoso contra a Dinamarca na última quarta-feira, publicou um tweet que dizia “não sou eu, relaxem, caras”, mas o apagou logo depois.

Além de Cole e Shaw, os outros 28 jogadores chamados por Hodgson para o jogo contra a Dinamarca foram: os goleiros Hart, Foster, Forster e Ruddy; os laterais Johnson e Baines; os zagueiros Cahill, Smalling e Caulker; os meio-campistas Gerrard, Wilshere, Henderson, Carrick, Milner, Lampard, Barkley, Cleverley, Lallana, Chamberlain e Townsend; e os atacantes Sterling, Sturridge, Rooney, Lambert, Defoe, Welbeck e Jay Rodriguez.

 

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade