Após 1 semana, Marinha suspende buscas por mexicano que teria pulado de navio no RN

Jorge Alberto López Amores, de 29 anos, estaria bêbado quando se jogou de uma altura de 40 metros

N009-f67

Diego Hervani

Repórter

Depois de uma semana de buscas sem sucesso, o 3º Distrito Naval informou que suspendeu a procura pelo mexicano, Jorge Alberto López Amores, de 29 anos, que teria pulado de uma altura de cerca de 40 metros do navio MSC Divina a cerca de 50 km ao norte do Cabo Calcanhar, no Rio Grande do Norte, no último dia 18.

Em nota, a assessoria do 3º Distrito Naval, informa que o navio-patrulha Macau e os aviões utilizados nas buscas regressaram às suas respectivas bases, em Natal e Salvador, para reabastecimento e manutenção de equipamentos. A embarcação e a aeronave permanecerão de prontidão caso a Marinha tenha conhecimento de algum indício que evidencie a localização do corpo do passageiro. Os avisos náuticos e a interação com a comunidade marítima estão mantidos caso alguma novidade apareça.

Nos últimos dias, a Polícia Federal de Pernambuco (PF/PE), que está à frente das investigações, já que o navio está ancorado em Recife, colheu depoimentos de testemunhas, entre eles o do comandante do MSC Divina. Em entrevista coletiva, a assessoria da PF/PE informou que as pessoas disseram que o mexicano teria pedido a um amigo que filmasse o salto e postasse nas redes sociais. Elas contaram ainda que o turista teria ingerido uma grande quantidade de bebida alcoólica desde a véspera do acidente. Na cabine que ele ocupava foram encontradas garrafas de bebidas mexicanas, como “Perla Blanca” e ainda “El Peloton Del Muerte”, que tem um teor alcoólico de 97%. O hóspede também havia consumido outras bebidas alcoólicas no bar do navio.

Ainda segundo os depoimentos, o amigo de Jorge teria aconselhado a vítima a voltar para a cabine. O turista não atendeu ao pedido e seguiu para o último andar da embarcação, onde pediu para três desconhecidos gravarem seu pulo. O trio não levou o homem a sério e o ignoraram. Depois disso, o mexicano caminhou até o parapeito do navio, tirou os óculos e sapatos, subiu em um batente e se jogou ao mar. De acordo com o Jconline, alguns passageiros também disseram que o rapaz teria prometido parar a embarcação em alto mar e pulou do 15º andar para que isso ocorresse. Ainda segundo passageiros estaria tentando impressionar uma mulher.

U653U53

Imagens de uma câmera de segurança da embarcação mostram o mexicano caindo e atingindo a água com bastante violência. Apesar de todos os indícios mostrarem que o homem teria mesmo se jogado, a PF ainda não descarta qualquer possibilidade. “Como encontramos cinco garrafas de uma bebida, de nome El Pelotón de la Muerte, com mais de 90% de álcool, e uma de uma bebida não identificada vazias na cabine da vítima, realmente acreditamos que ele se jogou, mas não descartamos a possibilidade de que alguém o tenha empurrado. Entretanto, isso é muito improvável”, afirmou Giovani Santoro, assessor da PF/PE.

A embarcação, que partiu do Recife para Fortaleza e fazia o trajeto de volta, viaja com cerca de 3,5 mil mexicanos que vieram acompanhar a Copa do Mundo, além de 1,4 mil tripulantes. O MSC Divina saiu de Miami no dia 19 de maio e chegou a Salvador no dia 4 de junho, passou pelo Rio de Janeiro, Santos e atracou no Recife no dia 10 deste mês. Inicialmente ele iria parar em Natal, mas a altura da Ponte Newton Navarro, que é de 57 metros, impediu que isso acontecesse, já que o navio tem 66 metros. No último dia 15, o Divina zarpou para Fortaleza e retornava para o Recife, onde a seleção mexicana joga contra a Croácia na próxima segunda-feira (23).

Mexicano-1

A MSC Cruzeiros se pronunciou, lamentou o ocorrido e afirmou que respeita a todos os procedimentos de segurança. “A MSC Cruzeiros informa que um hóspede mexicano do MSC Divina caiu no mar na última quarta-feira (18/06) aproximadamente às 17h, enquanto a embarcação navegava entre Fortaleza e Recife. Imediatamente após o ocorrido, o Comandante do navio informou as autoridades brasileiras e iniciou os procedimentos de busca e salvamento – conforme previsto nas normas da companhia. Infelizmente, o hóspede ainda não foi encontrado, mas a empresa continua dando todo o suporte possível às autoridades competentes. O MSC Divina foi autorizado a prosseguir com seu roteiro e a Capitania dos Portos liderará as buscas. A empresa reitera que segue todas as regras e procedimentos de segurança estabelecidos pelos órgãos mundiais”.

Mexicano-2

Durante as buscas, o Comando do 3º Distrito Naval mobilizou o Navio-Patrulha “Macau”, que se encontrava atracado na Base Naval de Natal; dois aviões do tipo P-3 – Orion, da Força Aérea Brasileira, próprio para busca e salvamento, sediados em Salvador; e mais de 100 homens no mar e em terra. Neste período, o Navio-Patrulha “Macau” inspecionou uma área de aproximadamente 28.000 Km quadrados, que corresponde a cerca de 4.000 campos de futebol; e os aviões realizaram 57 horas de buscas, tempo suficiente para voar de Natal ao Rio de Janeiro, mais de 18 vezes.

O Comando do 3º Distrito Naval determinou ainda o contato com toda a Comunidade Marítima local e solicitou ao Centro de Hidrografia da Marinha, a emissão de Avisos-Rádio Náuticos, que alertaram a ocorrência a mais de 100 embarcações que transitaram pela área de busca neste período, sem que fosse apresentado qualquer relato positivo.

Eis a nota enviada pela Marinha do Brasil:

O Comando do 3° Distrito Naval informa que decorridos 6 dias da queda, na água, de um passageiro do transatlântico “MSC Divina”, a cerca de 50 km ao norte do Cabo Calcanhar- Rio Grande do Norte, já mobilizou, nas buscas, o Navio-Patrulha “Macau”, que se encontrava atracado na Base Naval de Natal; dois aviões do tipo P-3 – Orion, da Força Aérea Brasileira, próprio para busca e salvamento, sediados em Salvador; e mais de 100 homens no mar e em terra.

Neste período, o Navio-Patrulha “Macau” inspecionou uma área de aproximadamente 28 mil km quadrados, que corresponde a cerca de 4 mil campos de futebol; e os aviões realizaram 57 horas de buscas, tempo suficiente para voar de Natal-RN ao Rio de Janeiro-RJ, mais de 18 vezes, sem que nenhuma evidência fosse encontrada.

O Comando do 3º Distrito Naval determinou ainda, o contato com toda a Comunidade Marítima local e solicitou ao Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), a emissão de Avisos-Rádio Náuticos, que alertaram a ocorrência a mais de 100 embarcações que transitaram pela área de busca neste período, sem que fosse apresentado qualquer relato positivo.

Desta forma, o Navio-Patrulha regressará à Base Naval de Natal (BNN) e o avião, a Base Aérea de Salvador, para reabastecimento e manutenção de seus equipamentos e permanecerão de prontidão, para emprego imediato caso a Marinha tenha conhecimento de algum indício que evidencie a localização do passageiro.

Compartilhar: