Aposentado alega defesa ao matar homem no cinema que usava celular

Nicole Oulson estava com o marido no cinema e foi atingida na mão

Curtis Reeves, 71, durante audiência; advogado alega que cliente atirou para se defender. Foto:Divulgação
Curtis Reeves, 71, durante audiência; advogado alega que cliente atirou para se defender. Foto:Divulgação

O policial aposentado Curtis Reeves, 71, declarou-se nesta quarta-feira (5) inocente de ter matado um homem em uma sala de cinema nos Estados Unidos.  No dia 13 de janeiro, Reeves atirou em Chad Oulson, 43, que estava usando o celular durante a sessão do filme “O Grande Herói” (“Lone Survivor”).

O advogado Richard Escobar afirmou que seu cliente estava se defendendo de Oulson, mas os promotores alegaram que a vítima não bateu ou encostou no aposentado. O julgamento, realizado em New Port Richey (Flórida), deve ser concluído até sexta-feira (7). Se condenado, Reeves pode pegar ao menos 25 anos de prisão.

“Não acredito no que fiz”, teria dito Reeves, segundo uma das testemunhas ouvidas na quarta-feira. O relato foi do policial Alan Hamilton, que estava de folga no cinema e presenciou a discussão entre os dois.

Já a testemunha Mark Turner detalhou a briga, motivada pelo uso do celular. “Tenho uma mensagem de voz da babá, quero ver se minha filha está bem”, teria dito Oulson, quando confrontado pelo policial aposentado (há também relatos de que a vítima estava trocando mensagens de texto). Ele então jogou sua pipoca em Reeves, que sacou a arma e atirou.

Nicole Oulson estava com o marido no cinema e foi atingida na mão. Ela não falou durante o julgamento, mas chorou ao ouvir os relatos das testemunhas.

Fonte:Bol

Compartilhar: