Apresentador é criticado por pergunta machista a presidente da GM

Matt Lauer, do programa Today, foi chamado de machista nas redes sociais por perguntar se Mary Barra era capaz de conciliar sua carreira com a vida familiar

Matt Lauer tentou se defender afirmando que responderia com prazer à pergunta que fez. Foto: Divulgação
Matt Lauer tentou se defender afirmando que responderia com prazer à pergunta que fez. Foto: Divulgação

O apresentador americano do programa “Today” da NBC, Matt Lauer, diz não se arrepender de ter perguntado à presidente executiva da General Motors, Mary Barra, sobre como consegue equilibrar trabalho e maternidade.

Ele afirmou que a questão afeta todos os pais que trabalham, independentemente do sexo, e que não se importaria de responder a essa pergunta se ela fosse dirigida a ele.

E acrescentou que perdeu o aniversário de 13 anos de seu filho em Detroit para fazer a entrevista com Barra.

Lauer causou irritação durante a entrevista veiculada ontem (26) com uma pergunta que foi considerada machista.

“Esta é uma das maiores discussões de nossa geração”, disse Lauer, de 56 anos, à Associated Press. “Eu vejo isso de forma diferente. Não como uma questão de gênero, mas como uma questão de equilibrar vida pessoal e trabalho”.

A pergunta foi feita no fim do último bloco da entrevista, que começou com questões sobre a segurança da GM. Primeiro, Lauer citou que boatos davam conta de que Barra estava em seu emprego para dar uma amenizada na imagem da empresa em tempos de dificuldade.

Então ele citou um artigo da Forbes no qual Barra disse que se sentia mal por perder a formatura de seu filho. O garoto disse a ela que ser mãe era um dos trabalhos aos quais ela estava encarregada. Lauer então perguntou: “Com esta pressão na GM, você consegue fazer os dois trabalhos bem?

Lauer se defendeu no Facebook, explicando o que inspirou sua pergunta. Muitos que comentaram sua mensagem não concordaram com ela, incluindo o autor do artigo da Forbes, que afirmou que nunca quis perguntar a Barra se ela era capaz de conciliar as duas funções.

Neera Tanden, presidente do Centro de Progresso Americano, afirmou que adoraria se Lauer começasse a fazer a mesma pergunta a executivos homens. “Mulheres ouvem isso com frequencia”, disse Tandem, sugerindo que as mulheres parassem de assistir Lauer. “É uma mensagem terrível para mulheres jovens”, disse.

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade