Arena das Dunas encanta, mas corre grande risco de virar ‘elefante branco’ após o mundial

A construção da Arena das Dunas envolveu uma série de desapropriações em áreas menos nobres

Baixa média de público é um dos problemas da Arena das Dunas. Foto: Divulgação
Baixa média de público é um dos problemas da Arena das Dunas. Foto: Divulgação

A Copa do Mundo de 2014 no Brasil ainda nem começou, mas sua realização já envolve inúmeras polêmicas. Recém-inaugurada, a Arena das Dunas é retrato do desrespeito das autoridades com a sociedade brasileira. Mas por que a Arena das Dunas é um absurdo?

Médias de Público
Os principais clubes de Natal não podem se orgulhar da presença de sua torcida nos jogos. América e ABC, que disputaram a Série B do Campeonato Brasileiro de 2013, tiveram médias de público de 1.650 e 4.117 pessoas, respectivamente.

Custo-benefício
A Arena das Dunas é resultado de uma parceria público-privada entre o Governo do Estado do Rio Grande do Norte e a construtora OAS, que, juntos, formaram o consórcio Arena das Dunas. Sua construção teve um orçamento aproximado de R$ 400 milhões para receber quatro jogos da Copa.

Esse dinheiro foi utilizado na construção de um estádio em uma cidade cujos públicos de futebol são baixos, apenas para a disputa de 4 jogos do evento.

O lucro
A população de Natal questiona a quem a construção beneficia. A cidade não precisava de mais um estádio e a construtora OAS recebeu financiamento quase da totalidade do levantamento do estádio. O que a construtora ganhar com a Arena, será utilizado para pagar o BNDES e os eventuais excessos irão para os bolsos da iniciativa privada.

Utilização na Copa
O estádio é projetado para 32 mil pessoas, mas, durante a Copa, 10,6 mil assentos removíveis serão acrescentados para que o público possa chegar a 42,6 mil pessoas. A medida é o “jeitinho” que se deu para a Arena encaixar no orçamento e, mesmo assim, estar preparado para a Copa.

Utilização pós-Copa
O ABC, maior clube do Estado, joga em seu estádio próprio, o Frasqueirão. A capacidade do estádio é de 18 mil pessoas, mais do que suficiente para as necessidades da equipe – no ano passado, o maior público do ABC no Campeonato Brasileiro foi de 14 mil pagantes, contra o Palmeiras.

O América, embora não tenha estádio próprio, já está construindo o seu. Existe até mesmo site oficial para acompanhar a construção. A futura “Arena América” deverá ter capacidade para 20 mil torcedores.

Obras de mobilidade
A Arena das Dunas viria acompanhada de um pacote de obras de mobilidade urbana, muitas delas financiadas pelo Governo Federal. Todavia, o primeiro lote foi iniciado apenas no final do ano passado e as próprias autoridades já assumem que não deverão ficar todas prontas para a Copa do Mundo.

Legado
A construção da Arena das Dunas envolveu uma série de desapropriações em áreas menos nobres. Isto fez com que pessoas perdessem seus lares em troca de uma compensação que nem sempre é a real correspondente ao valor do imóvel, levando os desapropriados à Justiça.

Ademais, a nova Arena exigia a demolição do antigo estádio Machadão, palco de grande parte da história do futebol do Rio Grande do Norte, inclusive recebendo jogos do Santos de Pelé. Sua existência, agora, estará apenas nas lembranças dos potiguares.

Compartilhar:
    Publicidade