Arenas das Copa têm dificuldades para manter espaços movimentados

Estrutura do Arena das Dunas é usada para eventos privados

Arena das Dunas: média de público de jogos dos principais times não chega a dez mil pessoas por jogo e área de  eventos e estrutura interna são utilizadas para eventos particulares   . Foto: Wellington Rocha
Arena das Dunas: média de público de jogos dos principais times não chega a dez mil pessoas por jogo e área de eventos e estrutura interna são utilizadas para eventos particulares . Foto: Wellington Rocha

Marcelo Lima

Repórter

 

Desde que o Brasil conquistou o direito de sediar a Copa do Mundo de 2014, surgiu a preocupação em diferentes setores da sociedade sobre qual seria a destinação das caríssimas arenas, construídas em “padrão Fifa”, financiadas pelo dinheiro público. Passados mais de um mês do fim do mundial de futebol, algumas arenas tem penado para conseguir uma programação que as mantenha financeiramente.

Em Natal, o concessionário da Arena das Dunas tem feito valer o nome de “arena multiuso”. Já foram realizados eventos corporativos na estrutura interna do estádio, alguns festivais de música na praça de eventos e o futebol também tem se destacado.

Se considerarmos apenas os jogos nacionais, a partida com recorde de público foi ABC e Vasco pela Série B do campeonato brasileiro no dia nove deste mês 27.044 pessoas. A renda do jogo foi de R$ 749.285. A partida também ficou registrada como o maior público da edição da Série B deste ano até o momento. A capacidade da Arena das Dunas é de 31.375 pessoas.

No entanto, a média de público dos jogos dos principais times da capital não chega a dez mil pessoas por jogo. Vários fatores influenciam a média baixa do público, como o preço do ingresso, a insegurança nos estádios e seu entorno e também a possibilidade de o torcedor ver o jogo do seu time na comodidade do seu lar. A baixa média de público se reflete em todas as partidas do campeonato da Série B pelo país. Mas não é exclusivo deste campeonato.

Para os próximos meses do ano, a Arena das Dunas já tem assegurados os eventos: Arena Pop (com a presença das bandas O Rappa, Raimundos e Pollo) a ser realizado no dia cinco do próximo mês, o evento é uma franquia nacional; O Carnatal retornará a seu tradicional de realização, agora utilizando a estrutura da praça de eventos da Arena; A Multifeira Brasil Mostra Brasil também tem fortes chances de ser organizada no bairro de Lagoa Nova, uma vez que a capacidade do Centro de Convenções não comporta mais o público do evento; o Festival Música Alimento da Alma (Mada) também locará a praça de eventos.

Em Cuiabá e Manaus a situação tem sido a mais crítica do país, uma vez que esses Estados não possuem times fortes envolvidos em campeonatos. Na Arena da Amazônia, há três meses não partida de futebol alguma desde o último jogo na primeira fase da Copa do Mundo. O próximo jogo é Vasco e Oeste no dia 16 de setembro. O Estádio Nacional Mané Garrincha tem passado pela mesma dificuldade. O estádio da capital federal já serviu até de altar para casamento coletivo.

Compartilhar: