“Arte do Fogo”: Exposição Nacional apresenta trabalhos em porcelana

Termina nesta quinta-feira (08), a XXI Exposição Nacional de Pintura Sobre Porcelana, Vidro e Faiança. Realizado pela Associação de Pintores…

Francisca Nogueira preside a APPERN, que conta com 42 mulheres associadas. Foto: Wellington Rocha
Francisca Nogueira preside a APPERN, que conta com 42 mulheres associadas. Foto: Wellington Rocha

Termina nesta quinta-feira (08), a XXI Exposição Nacional de Pintura Sobre Porcelana, Vidro e Faiança. Realizado pela Associação de Pintores de Porcelana do Rio Grande do Norte, o evento também está sendo realizado em conjunto com o XVI Salão de Arte, na Ala Nobre do clube AABB, localizado na Avenida Hermes da Fonseca, no Tirol.

Conhecida como Arte do Fogo, pois as peças são moldadas em temperaturas de 700° a 800° graus Celsius, viajando por diversas técnicas como caminho das índias, abstrato, moderno ou azulejo, algumas outras obras com acabamento em ouro completavam os trabalhos apresentados.

A associação presidida por Francisca Nogueira, conta hoje com 42 mulheres associadas, e segundo a representante da APPERN, a cada nova edição, novas pessoas entram para o grupo, com interesse na prática da manifestação artística de origem chinesa. Aproximadamente 500 peças estçao sendo expostas. “A cada vez que vamos expondo ,novas pessoas aparecem querendo entrar para o grupo”, disse Francisca.

O grupo também lamenta a incompreensão do mercado potiguar, “o mercado não é fácil. A gente compra as peças brancas, que já são caras, e quando vamos vender, os clientes acham caro. O trabalho não é valorizado”, disse a presidente da APPERN, sobre o comércio das obras no RN, mesmo com reconhecimento, por parte dos clientes da beleza dos produtos.

Cerca de 300 pessoas já visitaram o espaço desde  o início do evento na útima terça-feira (6), e de acordo com a presidente, “a aceitação e a presença do público foram muito boas”, concluiu.

A dona de casa Ana Almeida, 60 anos, levou sua mãe Lurdes Maranhão, 86 anos, para visitarem o espaço. Ana Almeida, que também é uma expositora, pretendia incentivar a sua progenitora a retomar a prática da arte, principalmente como atividade lúdica. “Estou achando bonita, é uma oportunidade de ver algo belo. Não todo mundo que pinta, é algo delicado e  também é uma terapia”, disse, se referindo ao que achou da mostra.

Desde 2012 a associação também recebe e passa o conhecimento a algumas crianças introduzidas no grupo, com as idades entre seis e doze anos, elas em sua maioria fazem parte da família das próprias associadas, segundo Francisca Nougueira, esta é uma maneira de passar o conhecimento a outras gerações. “O grupo é formado por pessoas da terceira idade, e por isso, também, transmitimos a arte para os mais novos”, completou. Algumas obras feitas pelos pequenos também estavam na mostra em uma parte destinada exclusivamente a eles.

Em paralelo ao evento também aconteceram alguns seminários, voltados para o estudo e debate de cada estilo, e maneira de se trabalhar a arte do fogo, como também os materiais usados na produção dos materiais a qual envolve vidraçaria, e cerâmica.

A cada edição uma artista do grupo é a homenageada, neste ano, Valdeci Gomes, artista que trabalha em um ateliê próprio e é do ramo há 25 anos, “É uma sensação da gente ter uma recompensa pelo trabalho”, disse se referindo ao fato de ser a escolha da vez. Ela que já foi a presidente da associação, revela que no seu caso “o mercado é excelente, pois trabalho há muito tempo”, por esse motivo já tem a sua clientela estabelecida.

A artista aprendeu a pintar desde pequena, ainda quando estudava na Escola Doméstica, em Natal.

Algumas das peças expostas serão mostradas na Argentina entre os dias 08 e 13 de setembro. Os trabalhos apresentados em Natal, seguem em direção a outros estados, onde também ficam abertos à visitação do público.

Compartilhar:
    Publicidade