Artesões potiguares reclamam do baixo consumo de turistas

Movimentação é fraca na Avenida Erivan França, na orla de Ponta Negra

Foto: Heracles Dantas
Foto: Heracles Dantas

Marcelo Lima

Repórter

Parte do comércio e serviços que lidam diretamente com o turismo está com suas expectativas frustradas. Pelo menos é o que conta a artesã Aracy Fernandes. Ela é uma das profissionais que vendem sua arte popular no Centro de Arte do Rio Grande do Norte, espaço que congrega pequenos artesãos na Avenida Erivan França na orla de Ponta Negra.

“Os turistas ficam aí em frente, mas parece a gente é invisível. Eles não entram aqui de jeito nenhum”, declarou a artesã. Segundo os profissionais desse tipo de arte, maio e junho são tradicionalmente meses de baixa estação. E em julho, o movimento cresce exponencialmente.

Porém, o movimento caiu ainda mais que em uma baixa estação. “Quem vendia R$ 10 mil, está vendendo só R$ 1 mil por semana”, contou Aracy. O colega de trabalho Francisco Tavares também reclama. “No nosso segmento, teve uma queda de 95%”, comparou o artesão a uma alta estação. Segundo ele, tradicionalmente as vendas nesse período se reduzem, no máximo, a 60% em relação à alta estação.

Segundo eles, isso acontece porque as pessoas que antecipavam suas férias no meio do ano para junho deixaram para depois, uma vez que as passagens e a hospedagem ficaram mais caras. “Só pousada, hotel e taxistas tiveram vantagem nessa copa. Eu tô pedindo a Deus que isso passe logo”, disse o artesão. Ainda segundo ele, nem o fim da chuva melhoraria esse aspecto.

Além disso, os poucos turistas que abriram a mão e gastaram dinheiro em Natal ficarão apenas para os jogos das suas seleções. Esse é o exemplo do mexicano Jocob Voneque e seu amigo, que trabalham em São Paulo. Eles chegaram na quinta-feira e vão embora neste sábado (14) à noite.

Até agora foram somente ao jogo e não planejam ir a pontos turísticos em função da chuva. “Não vimos muito a cidade porque está chovendo, mas temos gostado do pouco que temos visto. Somente hoje viemos conhecer essa parte da praia hoje”, falou o mexicano.

Talvez o único uso de equipamentos turístico que essa dupla aproveite seja um restaurante. “Queremos provar mariscos e queremos achar um lugar bom para comer”. Também disseram timidamente que poderão comprar algum artesanato, mas sem convicção. Hoje à noite, eles retornam para a capital paulista.

Evangelização

A igreja Assembleia de Deus também está realizando evangelização no período da Copa. Além de falar em inglês com os turistas, eles estão entregando material em inglês com o intuito de divulgar a palavra de Jesus Cristo. A igreja também promoverá cultos multilíngües em inglês, espanhol e português na igreja de Ponta Negra nos dias 15, 22 e 29 deste mês. Sempre às 18h.

Compartilhar: