Assessora diz que médicos começaram processo para tirar Schumacher do coma

A família de Michael Schumacher novamente solicita o respeito à privacidade e ao sigilo médico

A equipe médica passou a reduzir o sedativo que mantém Schumacher em coma induzido. Foto: Divulgação
A equipe médica passou a reduzir o sedativo que mantém Schumacher em coma induzido. Foto: Divulgação

A assessora do ex-piloto Michael Schumacher, Sabine Kehn, disse que os médicos do hospital de Grenoble, na França, começaram um processo para retirar o alemão do coma que já dura mais de um mês desde o acidente de esqui sofrido pelo heptacampeão mundial de F-1 em dezembro do ano passado.

Sabine disse que a equipe médica passou a reduzir o sedativo que mantém Schumacher em coma induzido. A informação havia sido publicada na última quarta-feira pelo jornal francêsL’Equipe, mas logo depois da divulgação a assessora voltou a dizer que informações que não viessem dos médicos do hospital de Grenoble deveriam ser tratadas como “especulação”.

“A família de Michael Schumacher novamente solicita o respeito à privacidade e ao sigilo médico, e que a equipe de médicos que cuidam de Michael não seja perturbada. Ao mesmo tempo, a família deseja expressar o sincero apreço pela simpatia mundial”, disse Sabine, que novamente evitou detalhar o estado de saúde do ex-piloto.

“A sedação de Michael está sendo reduzida, a fim de permitir o processo de saída do coma, o que pode demorar muito tempo. Para proteção da família, foi acordado originalmente entre as partes interessadas que a comunicação destas informações só seria feita após a consolidação deste processo”, afirmou o comunicado.

L’Equipe havia informado que o alemão está reagindo “positivamente” à saída do processo de coma, que começou nesta semana, segundo o jornal. Ele está internado no hospital de Grenoble, na França, desde seu acidente de esqui, há um mês.
A RMC diz que Stephan Chabardes, neurocirurgião do hospital de Grenoble, confirmou que Schumacher está em fase de recuperação. Agora, de acordo com a rádio, os médicos diminuirão gradualmente a sedação para tentar acordar o ex-piloto do coma.
Fonte: Uol
Compartilhar: