Atacante do Palmeiras nega agressão em argentino no vestiário

Surgiu após a derrota no clássico para o São Paulo, no domingo, a notícia de que os dois teriam trocado agressões

Henrique nega qualquer tipo de agressão em Allione. Foto: Divulgação
Henrique nega qualquer tipo de agressão em Allione. Foto: Divulgação

Quando a fase não é boa, os ânimos costumam ficar acesos e as discussões acontecem. Após a derrota por 2 a 1 para o São Paulo no último final de semana, surgiu a suspeita de que o atacante Henrique e o meia Allione, ambos do Palmeiras, teriam trocados agressões no vestiário. Autor do único gol palmeirense na partida, o centroavante teria se desentendido com o meia, que o teria cobrado por perder um gol feito. O fato, entretanto, foi negado pelo camisa 19.

“Muitos estão falando que nosso grupo está rachado por conta disso. Insinuarem que exista algo meu contra o Allione é extremamente baixo. Quando os resultados não aparecem, qualquer ato se transforma em algo negativo para quem quer inventar. Sou um cara muito tranquilo e que se doa ao máximo dentro de campo”, disse Henrique.

O atacante citou um encontro entre os dois durante a partida que poderia ter gerado a suspeita de troca de agressões.

“Em se tratando de um clássico, um pênalti naquela altura da partida ainda, a primeira coisa que veio na minha cabeça foi buscar a bola. Quando corri, estava pilhado, nos chocamos e na hora do susto abri os braços, muito mais na ânsia de reiniciarmos o jogo, porque o confronto estava indefinido. Foi algo extremamente casual, sem intenção de ser o que alguns quiseram enxergar. Conversei com ele hoje e não tem nada errado”, explicou o atacante.

SE TORNOU RECORRENTE

Não é a primeira vez que suspeitas de trocas de agressões e palavrões no vestiário do Palmeiras acontecem. Após derrota para o Atlético-MG, na rodada anterior, Wesley teria discutido com Allione e trocado agressões com Lúcio. Na época, soube-se que o técnico Ricardo Gareca presenciou o ato e pensou em deixar o clube (Relembre).

A situação no Palmeiras não é nada confortável. O clube tem a pior campanha entre os 20 clubes do Brasileirão após a Copa do Mundo, com cinco derrotas e um empate e com a derrota neste último domingo, entrou na zona de rebaixamento, na 17ª posição, com 14 pontos.

Fonte: Futebol Interior

Compartilhar:
    Publicidade