Atleta chileno tatua bola na trave que quase eliminou Brasil da Copa

Lance poderia ter custado a eliminação do Brasil na Copa do Mundo

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O chute na trave de Maurício Pinilla nos instantes finais da prorrogação contra o Brasil, pelas quartas de final, ficará guardado para sempre na história das Copas do Mundo. O chileno ficou a poucos centímetros de se tornar um “novo Ghiggia” e eliminar a Seleção Brasileira de um Mundial dentro de sua casa. O lance, que será recordado por todos aqueles que o presenciaram, foi eternizado na pele do atacante. De volta ao seu país após a eliminação nas oitavas de final da Copa, o jogador fez uma tatuagem da jogada em suas costas.

Pinilla compartilhou a imagem reproduzida em seu corpo nas redes sociais. Nela, é possível ver a bola explodindo na trave de Júlio César, que só observava o seu destino final. Abaixo do desenho, que ainda conta com Pinilla, autor da finalização, e Thiago Silva, zagueiro que o marcava no momento do chute, o chileno também tatuou os seguintes dizeres: “Um centímetro da glória”.

Assim que mostrou a tatuagem, feita por Marlon Parra, o chileno recebeu elogios de seus fãs. “Marca de guerra” disse um deles. “Se essa bola na trave tivesse sido gol, eu te pagaria idas ao bar por toda a vida”, brincou outro torcedor chileno, ainda lamentando o lance que por pouco não fez o Chile tirar o Brasil do Mundial.

Pinilla também aproveitou a ida ao estúdio para fazer outras duas tatuagens. Ele marcou na cabeça a palavra “Blessed” (do inglês, “Abençoado”) e “For Life” (em português, “Para a vida”), que agora se juntarão a outros muitos desenhos que tem por seu corpo.

O atacante tem 30 anos e joga atualmente no Cagliari da Itália. Ele já passou pelo futebol brasileiro, tendo defendido a camisa do Vasco da Gama em 2008, e foi o protagonista da confusão que fez o diretor de comunicações da CBF, Rodrigo Paiva, ser suspenso por um jogo nesta Copa do Mundo. O jornalista teria dado um soco em Pinilla no intervalo da partida deste sábado e está impedido de trabalhar na próxima sexta-feira, antes, durante e depois do confronto contra a Colômbia, pelas quartas de final do Mundial.

Fonte: Terra

Compartilhar: