Atrizes pornôs pedem que fãs boicotem Samuel L. Jackson após piada

Ator fez piada com site de vídeos adultos, o que irritou Tanya Tate e Catalina Cruz, que viram na brincadeira um descaso com a pirataria na indústria pornográfica

Samuel L. Jackson fez uma piada com o site "RedTube" durante coletiva de "Capitão América". Foto: Divulgação
Samuel L. Jackson fez uma piada com o site “RedTube” durante coletiva de “Capitão América”. Foto: Divulgação

Se depender da vontade das atrizes pornôs Catalina Cruz e Tanya Tate, os filmes com Samuel L. Jackson – que renderam mais de US$ 7,4 bilhões, segundo números de 2011 – não vão mais arrecadar um centavo sequer.

Ao site de fofocas TMZ, as duas se mostraram contrariadas com uma piada do ator durante uma coletiva de imprensa do filme “Capitão América: O Soldado Invernal”.

No filme, Steve Rogers, o Capitão, tem o costume de anotar os nomes de fenômenos culturais e acontecimentos ocorridos enquanto ele estava adormecido no gelo para, assim, ir se readaptando ao mundo atual. Na versão distribuída no Brasil, por exemplo, há menções aos Mamonas Assassinas e ao piloto Ayrton Senna, morto há 20 anos.

E na coletiva, os atores foram questionados sobre quais fenômenos culturais das últimas cinco décadas eles indicariam para alguém que não as viveu. Chris Evans sugeriu Beatles e Led Zeppelin, enquanto Jackson brincou e citou um site de vídeos adultos, uma espécie de YouTube do pornô, piada vista pelas atrizes como uma forma de apoiar a pirataria.

Catalina declarou que Hollywood é contra a pirataria, mas não vê problemas quando isso acontece com a indústria pornográfica, e pediu que boicotem os filmes de Jackson. Já Tanya prometeu enviar um catálogo de filmes adultos para o ator se ele retirar seu comentário. Considerando que, só em 2014, Samuel estrelou produções grandes como “RoboCop” e o segundo “Capitão América”, tem cinco filmes a serem lançados neste anos, e sem esquecer de “Os Vingadores 2: A Era de Ultron”, que chega em 2015, será bem difícil boicotá-lo.

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade