AUSÊNCIA

A governadora Rosalba Ciarlini, do DEM, levou falta no “evento pré-eleitoral conhecido como procissão de Reis”. A gestora não justificou…

A governadora Rosalba Ciarlini, do DEM, levou falta no “evento pré-eleitoral conhecido como procissão de Reis”. A gestora não justificou o motivo da ausência mas, dizem, que não foi por medo de vaias, até porque no local eram vários os apoiadores da ex-governadora Wilma de Faria, opositora da gestão DEM no RN.

SEM CONSELHO
Além dela, o empresário Fernando Bezerra, cotado para ser o nome do PMDB nas eleições de 2014, também não foi, mostrando que não vai seguir, assim de maneira tão direta, o conselho dado pelo deputado João Maia, do PR (que na semana passada disse que Bezerra precisava “ir para a rua”).

VIABILIDADE
Na realidade, há um bom motivo para essa ausência. Fernando Bezerra nunca foi de participar de eventos populares com o único intuito de “aparecer”. Fazendo isso agora, ficaria claro que quer é ser candidato. Não seria algo “natural”. Além disso, vai que ele demonstra que quer ser candidato e, amanhã, o PMDB não consegue os apoios suficientes para viabilizar a candidatura. Não consegue, nem mesmo, a integração dentro do partido para apoiá-lo… E aí, como fica?

CONFIRMAÇÃO
Até porque não deve ter sido só a Chico Araújo, prefeito de Espírito Santo, que Henrique confirmou que Fernando Bezerra será o candidato. O presidente estadual do PMDB tem falado isso com certa frequência para os aliados.

PT E PSD
Em Mossoró, a desistência do PT de disputar a eleição suplementar tem um significado muito mais “simbólico” do que “prático”. Afinal, o Partido dos Trabalhadores apenas disse que não participaria de um pleito que está, no momento, suspenso e que ninguém sabe se, realmente, vai acontecer. Sinalizou, por outro lado, para uma aproximação com o PSD, que pode refletir, também, no apoio petista a candidatura de Robinson Faria ao Governo, no segundo semestre.

REFORMA
Já tem assunto o primeiro grande debate dos vereadores neste ano de 2014: a reforma administrativa proposta pela Prefeitura de Natal. Isso porque o Executivo, em parceria com a consultoria Falconi, simplesmente, desconsiderou o entendimento dos vereadores de que a Secretaria Municipal da Mulher não deveria ser desativada. Aprovar a matéria do jeito que está vai ser mais uma prova para o líder governista Júlio Protásio.

REFORMA II
A Prefeitura de Natal vai economizar R$ 9 milhões do orçamento municipal com a redução dos gastos com, principalmente, cargos comissionados. A pergunta que fica é a seguinte: por que no Governo do Estado não se faz o mesmo? É claro que cabe uma redução de despesas por meio de uma reforma administrativa. Se Rosalba conseguisse, neste último ano de governo, imprimir ou, pelo menos, levantar essa bandeira, seria, pelo menos, a amenização do desastre político dela.

Compartilhar:
    Publicidade