Australiano inventa prancha de surf à prova de ataques de tubarão

Aparelho será incorporado na zona dos fins da prancha e produz um campo eletromagnético

Os ataques de tubarão estão na ordem do dia e sucedem-se cada vez com mais frequência. Mas também os ataques aos tubarões começam a ser um problema, depois da lei aprovada pelo Oeste australiano que incentiva a caça ao tubarão em determinadas zonas. Uma notícia que levantou muitas críticas mas agora pode estar tudo perto de um final feliz. Isto se esta nova invenção funcionar: fins à prova de tubarão.

Não, os fins das pranchas não serão ainda mais afiados para funcionarem como armas de corte contra tubarões, até porque o objetivo é evitar ataques de ambos os lados e terminar com a recente matança imposta pelo governo do Oeste australiano. Assim, podemos estar próximos de encontrar a solução para terminar com os ataques dos tubarões aos surfistas, de acabar com a caça ao tubarão e também com os vários protestos públicos na OZ.

A história é contada pelo site Swellnet.com e a ideia surgiu da cabeça de Lindsay Lyon, empresário do Oeste australiano, e tem estado a ser desenvolvida. Lyon tem uma empresa chamada Shark Shield e, juntamente com a sócia Amanda Wilson, fabrica há quase dois anos produtos que servem de proteção para quem anda no mar. Todos os produtos são baseados numa tecnologia idêntica, à base eléctrodos, e é isso mesmo que está a tentar incorporar nos fins das pranchas.

Duas baterias de eléctrodos colocadas nos fins irão formar um campo electromagnético à volta da prancha de cerca de 2 metros que não irá permitir uma aproximação aos tubarões. E como? Ao chegarem perto do campo electromagnético os tubarões irão sentir náuseas. Pode não ser um método consensual, mas é claramente menos violento e mortífero do que o atual plano do governo do Oeste australiano.

Lyon garante que esta invenção não irá afetar a performance dos surfistas, uma vez que o aparelho pesa somente cerca de 100 gramas. Resta agora saber se estamos na presença de algo funcional… mas apostamos que não vais querer ser tu o primeiro a experimentar. Esperemos então por novidades. Será que é desta que terminam os nossos pesadelos com tubarões? E os deles também…

TYJUYKUILTYEAR

 

Compartilhar: