Autoescolas questionam obrigatoriedade do uso de simuladores de direção

Nova resolução do Contran pode deixar o custo da Carteira Nacional de Habilitação ainda mais cara

Aparelho deverá registrar os problemas críticos que o aluno tem no trânsito. Foto: Divulgação
Aparelho deverá registrar os problemas críticos que o aluno tem no trânsito. Foto: Divulgação

Carolina Souza
acw.souza@gmail.com

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) decidiu que será obrigatório a partir deste mês o uso do Simulador de Direção Veicular em todos os Centros de Formação de Condutores (autoescolas) do país, para habilitação na categoria B – autorização para conduzir carros. O objetivo é utilizar a tecnologia para qualificar a formação de novos condutores e ter mais segurança no trânsito. Apesar de parecer uma decisão interessante, instrutores e diretores das autoescolas questionam a obrigatoriedade do simulador. Para eles, o ideal seria aumentar o número de horas/aula para o treinamento prático.

A nova norma estabelece que o aluno/condutor tenha aulas teóricas e depois passe a treinar no simulador, antes de ir às ruas. Em cinco horas aula de 30 minutos, o aparelho deverá registrar os problemas críticos que o aluno tem no trânsito, experiência que dará mais segurança quando ele for para o trânsito com o veículo. O problema é que a maioria das autoescolas não tem infraestrutura e nem recursos para arcar com a compra do simulador.

“As empresas estão orçando a máquina hoje em torno de R$ 38 mil reais. Fora o preço da aquisição do simulador, ainda teremos que arcar com a hora/aula do aluno e com o aluguel do software da empresa. Tudo isso vai elevar os custos para mais de R$ 40 mil. Com certeza esse valor de investimento será repassado para a sociedade. A sociedade vai ter que gastar mais para tirar a carteira de motorista”, explicou Necy Bezerra da Cunha, diretora geral e instrutora de autoescola em Natal.

Segundo ela, o valor pago pelas aulas teóricas e práticas poderá aumentar numa ordem de 30% a 40%. “Como ainda não adquirimos a máquina, não fizemos esse cálculo real. Mas é fato que o processo irá encarecer bastante. Uma solução mais interessante para nós e, principalmente, para os novos condutores seria acabar com essa determinação e aumentar o número de horas/aula prática. O aluno precisa passar mais tempo na rua, em situação real do trânsito, para se sentir seguro e confiante”, destacou.

O valor da Carteira Nacional de Trânsito (CNH) para habilitação na categoria B varia atualmente de R$ 750 a R$ 1 mil, conforme condições de pagamento oferecidas pelas autoescolas. Deivison Silva Rocha, que também atua como instrutor em uma autoescola da capital, disse que, na realidade deles, o valor da carteira poderá dobrar.

“Definitivamente é uma determinação irreal e muito onerosa. Se formos observar, esse simulador não ajudará em muita coisa. É como se fosse um videogame. Jamais mostrará a realidade que o aluno encontrará no trânsito”, disse. Deivison Rocha ainda considera o risco dessa nova norma não vingar.

“Nós temos notícias que todas as autoescolas de Minas Gerais cruzaram os braços em protesto contra essa determinação. Quem trabalha com isso sabe da importância da aula prática. Infelizmente nós não temos muita força aqui no Estado para fazer o mesmo. Mas tememos que isso não venha vingar, o Contran volte atrás e a gente acabe ficando com o prejuízo do simulador”, afirmou.  “Sou a favor de derrubar essa determinação e aumentar o número de horas práticas. São exigidas 20h aula de trânsito, geralmente 1h por dia. Poderíamos aumentar isso para 30h, 40h. É muito mais interessante que o novo condutor passe mais tempo na rua”.

 

Detran/RN prorroga prazo de adequação para 17 de março

O prazo para que as autoescolas se adequassem a nova resolução do Contran foi encerrado ontem, dia 1º de janeiro. Entretanto, o Departamento de Trânsito do RN (Detran/RN) estendeu o prazo para adequação das autoescolas no Estado. Ainda neste mês cada unidade de formação de condutores deverá apresentar ao órgão um documento que comprove a aquisição da máquina. Levando em consideração o processo de compra, entrega e testes no simulador, as empresas terão até o dia 17 de março para colocar em prática o novo sistema.

Apesar do prazo estendido, todos os novos condutores que derem entrada no processo da CNH a partir de hoje deverão ser inclusos na nova norma. O chefe de gabinete do Detran/RN, Manoel Ferreira, explicou que a medida é muito importante para qualificar o condutor e aumentar a segurança.

“Hoje a maioria dos alunos vão para o trânsito sem saber nada sobre o funcionamento do carro e da realidade que há nas ruas. Normalmente as pessoas começam as aulas sem antes ter tido nenhum contato com um veículo. São leigos. Daí a importância do simulador. Dará noção do tempo de reação e espaço que o condutor terá”, explicou.

Manoel Ferreira informou que a nova determinação não irá alterar nenhum processo que ocorre no órgão. “O uso do simulador não implicará em mudanças no sistema de provas do Detran. Continuaremos realizando apenas as provas teóricas e práticas, conforme sempre aconteceu. O simulador é um ganho único e exclusivamente do condutor”, destacou.

A expectativa é de que os processos de formação de condutores sejam mais aprimorados. “Se o rendimento do condutor for melhor com o simulador, teremos melhores motoristas. Isso não significa que vai acontecer assim porque os fatores que interferem no comportamento do condutor são muitos, inclusive os próprios vícios que o motorista vai adquirindo com o hábito de dirigir. Mas certamente os simuladores vêm para melhorar o ensinamento”, disse Ferreira.

Compartilhar: