Bancos são multados em R$ 5,312 milhões por falta de segurança

Principais irregularidades foram equipamentos inoperantes e número insuficiente de vigilantes

De acordo com a Contraf, eram 485 processos contra bancos. Foto:Divulgação
De acordo com a Contraf, eram 485 processos contra bancos. Foto:Divulgação

A Polícia Federal aplicou R$ 5,312 milhões em multas a 14 bancos por falhas na segurança de agências e postos de atendimento, durante a 100ª reunião da Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada. A reunião foi nesta quarta-feira (12), em Brasília.

As multas ao Banco do Brasil totalizaram R$ 1,545 milhão. O Itaú foi multado em R$ 1,188 milhão, o Santander, em R$ 745 mil, a Caixa Econômica Federal, em R$ 738 mil, e o Bradesco, em R$ 679 mil, informou a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT)

De acordo com a Contraf, eram 485 processos contra bancos, abertos pelas delegacias estaduais de segurança privada, por causa do descumprimento da Lei Federal nº 7.102/83 e de portarias da Polícia Federal.

“As principais irregularidades foram equipamentos inoperantes, número insuficiente e falta de rendição de vigilantes no horário de almoço, transporte de valores feito por bancários, inauguração de agências sem plano de segurança aprovado e cerceamento da fiscalização de policiais federais, dentre outras”, diz a Contraf.

Ainda segundo a Contraf, várias agências no estado do Rio de Janeiro também foram multadas por abrirem suas portas com apenas um vigilante durante uma greve da categoria. A Lei nº 7.102/83 exige a presença de, no mínimo, dois vigilantes.

A Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada é integrada por representantes do governo e entidades dos trabalhadores e dos empresários.

A Contraf-CUT é a porta-voz dos bancários e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) representa os bancos. Foi a primeira reunião da cpmissão neste ano. A próxima foi marcada para 7 de maio.

Em nota, a Febraban afirma que os problemas apontados são pontuais e não refletem uma redução dos padrões e procedimentos de segurança seguidos pelos bancos.

“Os investimentos em segurança avançaram de forma significativa nos últimos anos: de R$ 3 bilhões ao ano em 2002 para R$ 9 bilhões em 2013″, calcula a federação.

Fonte:IG

Compartilhar: