Barão lembra ‘ralação’, ajuda do pai e tem ‘cartas na manga’ para manter título

Lutador potiguar passou por dificuldades financeiras e chegou a passar fome para economizar dinheiro. Invicto há 33 lutas, defende o cinturão dos galos contra TJ Dillashaw, neste sábado

Renan Barão encara TJ Dillashaw neste sábado, em Las Vegas. Foto: Divulgação
Renan Barão encara TJ Dillashaw neste sábado, em Las Vegas. Foto: Divulgação

Campeão dos galos do UFC, Renan Barão não teve vida fácil para chegar ao ápice no mundo das lutas. Porém, o potiguar se fortaleceu dos tempos de ‘ralação’ e é o nome a ser batido em sua categoria. Neste sábado, ele faz mais uma defesa de cinturão. Barão encara o americano TJ Dillashaw, no UFC 173, que será realizado em Las Vegas.

Nascido em Natal, no Rio Grande do Norte, ele vem de família humilde e teve dificuldades financeiras para vingar no MMA. Chegou a deixar de comer e ir dormir mais cedo para economizar dinheiro, quando se mudou para o Rio de Janeiro. “Tinha de trabalhar e treinar. Foram tempos muito difíceis, de muita ralação, mas nunca desisti e deu certo”, disse Barão.

Além das dificuldades financeiras, Barão conheceu seu pai somente na adolescência. Mas, o encontro, mesmo que tardio, foi determinante na carreira do lutador. José Netinho Pegado foi campeão brasileiro de boxe e auxiliou o filho nos primeiros golpes. “Ajudou bastante, com certeza. Ele me dava aulas, treinávamos todos os dias. Foi nesse momento da minha adolescência em que aprendi a lutar de pé”, afirmou o lutador brasileiro.

No entanto, o campeão do UFC, não preferiu seguir o caminho do pai pugilista e já iniciou seus treinamentos no jiu-jitsu. “Já era uma época em que se praticava mais o MMA e assim comecei a fazer jiu-jitsu”.

No duelo deste sábado, Barão fará sua segunda defesa do título linear dos galos. O lutador potiguar sabe bem que seu jogo virou alvo dos rivais, por conta da vitrine do cinturão no UFC. Porém, afirma que está preparado e tem suas ‘cartas na manga’ para se manter como campeão.

“Posso nocauteá-lo em pé ou derrubar para finalizar no chão, com o meu jiu-jitsu, mas estou preparado para lutar os cinco rounds”, disse o brasileiro, que tem sete vitórias no UFC. Duas por nocaute, duas por finalização e outras três vindas de decisões unânimes dos juízes.

Mesmo desconhecido do grande público brasileiro, Barão já é unanimidade no Ultimate. Dana White, presidente do UFC, disse que é fã do potiguar e coloca o lutador como segundo melhor, atrás apenas de Jon Jones. “Fico feliz pelos elogios e sei que é fruto do meu trabalho de anos”, concluiu Renan Barão, invicto há 33 lutas no MMA.

O UFC 173 acontece neste sábado, em Las Vegas, no MGM Grand Arena. O card preliminar começa às 19h30 e o principal terá início às 23h. O evento será transmitido pelo canal Combate.

UFC 173

Card principal

Renan Barão x TJ Dillashaw

Dan Henderson x Daniel Cormier

Robbie Lawler x Jake Ellenberger

Takeya Mizugaki x Francisco Rivera

Jamie Varner x James Krause

Card preliminar

Michael Chiesa x Francisco Massaranduba

Tony Ferguson x Katsunori Kikuno

Chris Holdsworth x Chico Camus

Al Iaquinta x Mitch Clarke

Anthony Njokuani x Vinc Pichel

Sam Sicilia x Aaron Phillips

David Michaud x Li Jiangliang

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade