Barão quer passar 10 anos com o cinturão: ‘Ninguém vai tirar o que conquistei’

Renan Barão fará a sua primeira defesa desde que se tornou campeão linear dos galos

65u65u56u56u56u5u5

Campeão peso galo do UFC, Renan Barão fará a sua primeira defesa de cinturão desde que conquistou o título definitivo contra Urijah Faber, em fevereiro. O faixa-preta da Nova União vai encarar TJ Dillashaw no dia 24 de maio, em Las Vegas, quando acontece o UFC 173. Seu próximo adversário seria o brasileiro Raphael Assunção, que foi cortado por conta de uma lesão. Apesar da mudança, Barão acredita que o atleta da Team Alpha Male está credenciado para disputar o título.

“O Dillashaw fez uma luta duríssima com o Raphael Assunção. O Raphael ia ter oportunidade de lutar por esse cinturão, mas se machucou, e a disputa caiu na mão do Dillashaw. Ele é um cara duro, vinha de quatro grandes vitórias, aí, perdeu para o Raphael. Mas foi uma luta bem dura (Raphael venceu na decisão dividida dos juízes). Depois, ele ganhou do Mike Easton e acabou tendo essa chance”, explicou Barão, em entrevista ao programa de rádio “No Mundo da Luta”.

Atualmente, o Brasil possuiu apenas dois cinturões no Ultimate – além de Barão, José Aldo é o campeão dos penas -, e o potiguar sabe que a pressão para manter o cinturão está cada vez maior.

“É uma responsabilidade muito grande, tem um pouco de pressão e, ao mesmo tempo, não. Tento me manter o máximo possível focado na luta e no meu trabalho. Estou bem confiante, bem tranquilo, fazendo um excelente trabalho na Nova União. Manter esse cinturão vai ser tudo na minha vida, e não vou deixar ninguém tirar esse sonho que eu conquistei, ninguém vai tomar meu cinturão. Estou bem tranquilo, treinado e, chegando lá, é só soltar o jogo e voltar com o cinturão”.

Barão defendeu o cinturão interino em duas oportunidades e seu objetivo era um só: enfrentar Dominick Cruz e unificar os títulos. Agora que se tornou o campeão linear, o foco do brasileiro é manter o título.

“Se fosse antes, quando eu era campeão interino, eu iria preferir encarar o Dominick Cruz, já que eu estava indo em busca do cinturão e queria ser o campeão da categoria. Agora que sou o campeão, quem vier e quem o UFC decidir que tem que vir, estarei lá para mostrar meu trabalho da melhor forma possível. Espero poder ser campeão por bastante tempo, no mínimo, ficar uns dez anos com esse cinturão”, encerrou o campeão.

Compartilhar: