BARRA DE MAXARANGUAPE – 55 ANINHOS

Em fins de 2011, quando saí de um coma de vinte dias, minha muié e meus fíi, seguindo uis cunsêio…

Em fins de 2011, quando saí de um coma de vinte dias, minha muié e meus fíi, seguindo uis cunsêio do médico e AMIGO, Dr. José Valério Cavalcante de Souza, me levaro prá um tempo de recuperação na praia, mais precisamente in Barra de Maxaranguape; logo adispôi de Muriú, adonde numa casinha piquena, mais munto acunchegante; tive da mãe naturêza, o premêro impurrão na direção da minha totá e abissoluta recuperação… Dalí, eu saía de casa prá praia, amparado p’rú minha Adele, amiga, mãe, irmã, cumpanhêra, namorada, amante e mais uma ruma de tróço bom; e parava de cinqüenta in cinqüenta metro mode discansá; ela andava cum um tamburête de prástico mode eu me sentá quando cansava… Era uma verdadêra maratona; o poeta véio, cumo diz meu paricêro Mané do Côco, tava mais fraco do qui cardo de batata… Da localidade, além duis are do lugá, tive o bom trato e o caríin dais pessoa, tanto duis nativo cumo duis veranista; e Papai do Céu num poupô nem um pôquíin da saúde qui me devôiveu e munto menos da inspiração… Saiu poema in banda de latra!… O qui demorô mais foi a recuperação da cuca, pois eu “inda cunversava merda fora da conta”… Inté a viola eu vortei a tocá; e nessa recuperação, num posso isquecê de alembrá do disvêlo cum o quá minha musa me tratô; munto menos da infermêra Sirlene, qui vinha duais vêiz p’rú dia; àis cinco e meia da menhã e àis nove e meia da noite, apricá insulina in n’eu… Pois bem!… Daí in vante, nóis; eu, minha muié e meus fíi, elegemo a localidade cumo obrigatoriedade de nóis tá, durante uis mêis de janêro e feverêro duis ano “subseqüente” (ispíia o poeta véi matuto cumo tá falando difíce…). E agora, no ano da graça de 2014, na quarta fêra próxima passada, dia 29 de janêro; aniversário da Cidade, fui inté a praça duis Quiosque; e alí, prá cumêço de cunversa, fui àis lágrima, cum a apresentação do Pasturil da 3ª. Idade, sob o cumando do Paiáço Peróba… A Secretária de Curtura e o Professô Gláucio me discubriro no mêi da prateia; e me chamaro mode participá do evento cum uma decramação. Decramei apenas e tão sòmente um poema; pois a istrêla era êles, ais pastôra e o paiáço e não eu; e tive a premêra oportunidade de representá, cumo Vice-Presidente da Comissão Norte-Riograndense de Folclore, o nosso Presidente Gutenberg Costa e a nossa Comissão. Fui fotografado e assediado p’rú quem tava assistindo e incontrei vários ôvinte qui todas ais menhã me iscuta no Programa da 98 FM, Bom Dia Alegria, mais Riva Júnior, a Rapôsa do Nordeste. Num dá mode discrevê o tamãe do caríin qui arricibí… Prefeita Neidinha e toda sua equipe; “MUUUUUUUUNNNNNTTTTTTO OBRIGADO; vocêis num tão de parabéns” ; quem tá de parabéns é a Cidade de Barra de Maxaranguape, p’rú vocêis se preocupare in mantê viva e ativa, ais suas raíz curturais. Sua administração é nota MMMMIIIILLLL. Eu sube qui na Praia de Caraúbas, tem “UM BOI”, qui tá cum ais atividade parada, mode o estado de saúde do seu Mestre. Ramo resgatá isso tombém; conto cum sua ajuda nessa impreitada; pricisamo nuis reuni mode tratá disso… Meu amigo Amaro Saturnino, tô munto feliz in nossa Barra de Maxaranguape, qui tombém adotei cumo minha; farta só eu sê adotado purela tombém, de dêreito; pois de fato, eu já fui adotado derna do dia 13 de janêro de 2012, quando cheguei puraí pela premêra vêiz… Conte cum o apôio da Comissão Norte-Riograndense de Folclore e cum o POETA MATUTO CUM NOME DE AMERICANO… Parabéns, BARRA DE MAXARANGUAPE!…

Compartilhar:
    Publicidade